Morre Celso Nakauth, um dos últimos japoneses koutakusseis, em Parintins

Parintins (AM) – A um ano da celebração de 90 anos da imigração japonesa, em Parintins, um dos últimos Koutakusseis morreu na tarde deste sábado (10). Celso Toyoshige Nakauchi, 88 anos, com a saúde debilitada, com dificuldades para se locomover e se alimentar, faleceu na residência da família, localizada no bairro Santa Clara.


Nascido no Japão, naturalizado brasileiro, construiu a vida e formou família, em Parintins, onde foi presidente da Cooperativa Mista dos Juticultores (Coopjuta), por 12 anos, em meados da década de 1970 e 1980. Depois, Celso migrou para a atividade de pesca comercial em embarcações.

O empresário Nei Nakauth, neto de Celso, lembra que o patriarca da família era o único a residir em Parintins, enquanto os irmãos voltaram ao Japão ou outros estados do Brasil. “A gente tem o orgulho de ter o nome Nakauth, graças ao legado do meu avô”, afirma o neto, emocionado. Celso Nakauth enfrentava problemas de saúde, por ser cardíaco.

Outro neto, o professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifam), Rogério Nakauth, lamenta que, infelizmente, as circunstâncias da pandemia de Covid-19, não permitem velório e cortejo fúnebres, tais como merecia o avô. “Peço a todos que compreendam essas circunstâncias e respeitem o distanciamento”, orienta o neto.

A preocupação é para fins de preservação da saúde da viúva de Celso, Dona Alcina Nakauth, também de idade avançada e frágil saúde. “Àqueles que compartilham da nossa dor, orem para que Deus o acolha em paz e que dê a todos os familiares e amigos, o consolo para suportar tamanha perda”, clamou Rogério Nakauth.

você pode gostar também