Motor de lancha com vereadores de Parintins pega fogo e eles ficam à deriva no rio

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

O vereador Massilon Cursino (Republicanos) relatou a aflição que sentiu ao motor da lancha em que ele estava junto com o vereador Naldo Lima (Solidariedade) pegar fogo e eles ficarem à deriva no rio Paraná do Ramos, em viagem para a zona rural do município. Além dos parlamentares, a secretária do vereador Naldo Lima, proprietário da lancha, também estava na embarcação e se desesperou por não saber nadar. O acidente aconteceu no sábado (06).

“Nós tínhamos feito uma viagem a serviço pela Câmara. Nós fomos ouvir as demandas dos comunitários do Zé Açu, estivemos na comunidade Bom Socorro. Depois fomos para a Vila Amazônia e lá fomos visitar a ocupação Independência e, na volta, ao atravessarmos o Paraná do Ramos, houve uma pequena explosão e em seguida o motor começou a pegar fogo e a lancha parou”, falou Massilon que pulou no rio com medo de acontecer uma explosão maior.

A aflição de Massilon ficou ainda maior devido esse acidente ter acontecido no dia que sua mãe Geny Cursino, de 83 anos, completou nove meses de falecimento. “Quando caí na água, que eu cheguei a pensar que seria o desfecho da minha vida, eu lembrava que naquele dia completaria nove meses de falecimento da minha mãe. E na água a distância para a margem era muito grande, estávamos no meio, em torno de 150 a 200 metros pra cada lado, dificilmente alguém que não tenha uma preparação tão atlética chegaria até a margem a nado. No susto eu não peguei nenhum colete, pulei direto pra água, esperando que houvesse a explosão do motor e então me afastei e depois tive que retornar. Graças a Deus o pior não aconteceu, talvez tenha até sido a mão amiga do meu anjo protetor que está lá no céu há nove meses, que é manhã mãe”, contou.

Ao pegar fogo o motor da lancha, o vereador Naldo Lima retirou a mangueira do tanque de combustível para evitar uma explosão maior.

“Naquele momento ligamos pra quem vimos na frente, primeiro para a Vila Amazônia onde estava a ambulancha. Sabemos que a ambulancha não é um veículo do Corpo de Bombeiros, mas foi o que nós vimos. Como o vereador Naldo Lima tinha o contato da ambulancha ele ligou pra pessoa que trabalha nela e a pessoa respondeu que estava de folga e ia ligar pra outra pessoa que estava de serviço. A outra pessoa disse que não podia atender porque tinha que pedir autorização do militar que comanda eles aqui na Central de Resgate. Sei que nessa história ficamos à deriva por um bom tempo, graças a Deus apareceu um ribeirinho que numa rabeta nos rebocou para outra margem em frente a Vila Amazônia, no Paraná do Ramos”, falou Cursino.

Após isso a ambulancha ficou de resgatar os tripulantes da lancha em que o motor pegou fogo, mas houve tanta demora que deu tempo do vereador Babá Tupinambá (PDT) sair da cidade em outra lancha e resgatar seus colegas parlamentares e a secretária do vereador Naldo Lima. Ninguém saiu gravemente ferido.

O vereador Naldo Lima possui carteira de contramestre e o vereador Massilon Cursino tem carteira arrais e de habilitação para conduzir embarcações públicas, ou seja, ambos são habilitados para conduzir embarcações como as lanchas.

você pode gostar também