Mulher trans quer participar do concurso Garota Expopin 2021

Eldiney Alcântara | 24 Horas
[email protected]

A parintinense Priscila Molinary, 24 anos, quer participar do concurso Garota Expopin 2021, realizado pela Associação dos Pecuaristas de Parintins (APP). Ela ganhou o direito de alterar o nome no cartório e, agora, é considerada uma mulher trans (transexual). A coordenação do evento não efetuou a inscrição, mas também não negou. Eles analisam o pedido e a participação da possível candidata ganha repercussão.

Priscila Molinary afirma que possui plenos direitos de participar do concurso. “Sou uma mulher trans e há alguns anos fui presenteada com a troca do meu nome em todas minhas documentações e me tornei uma mulher perante a lei em determinação do Supremo Tribunal Federal. Vocês não imaginam o quanto isso me deixa completa e me faz fazer entender quem eu sou nesse mundo”, justificou.

Mesmo antes de uma resposta, Mollinary acionou a Associação de Gays, Lésbicas e Transexuais de Parintins (ALGTPIN) para lhe dar assistência jurídica. A entidade, a qual é associada, afirmou que acompanha o caso. “A associação já está providenciando alguns documentos que possam ser encaminhados tanto para o Ministério Público, quanto para a para a própria associação (APP). No artigo 20 da Lei 7.716 se enquadra na Lei do Racismo, no crime de transfobia por se tratar de uma mulher trans”, afirmou o presidente da ALGTPIN, Fernando Moraes.

Fernando informa que vai dar toda assistência necessária à Mollinary, inclusive entrou em contato com a Aliança Nacional LGBT para ter suporte jurídico no caso. “Ela é considerada uma mulher trans, legalmente, porque ela já tem essa certidão, seu RG, todos os documentos como mulher. Então, legalmente, ela tem que ser tratada como mulher, como diz a lei”, destacou.

Priscilla Mollinary conta que apenas quer participar do concurso e não pretende causar polêmica com isso. Ela pede apoio da população parintinense para que sejam solidários à causa dela. “Quero pedir com muito carinho para que os organizadores me deixem participar. Não vejo razão pela qual eu não possa participar. Sou uma mulher perante a Lei e as minhas crenças. Peço a todos que me acompanham e a todos que gostam de mim que me ajudem a realizar este sonho que com certeza vai mudar a visão de muita gente sobre nós mulheres trans”, concluiu.

Até a edição final desta reportagem a coordenação do concurso não havia se manifestado sobre a participação de Mollinary. O Garota Expopin 2021 vai acontecer de 28 de novembro a 05 de dezembro, no Parque de Exposição Luiz Lourenço de Souza.

você pode gostar também