Nação vermelha chora a morte do eterno apresentador Paulinho Faria

Eldiney Alcântara | 24 Horas 

[email protected] 

“Meu povo já não canta, meu tambor já parou”, o trecho triste dessa bela toada retrata bem o sentimento da nação vermelha e branca com a morte do eterno apresentador do Garantido, Paulinho Faria. O Garotinho de Ouro silencou sua voz e parou seu coração vermelho na tarde desta segunda-feira, 22 de fevereiro, em Manaus. Guerreiro, ele travava luta conta a Covid-19 e, no céu, foi se juntar a outros grandes nomes do folclore brasileiro.

A morte de Paulinho foi anunciada pelo irmão, Zezinho Faria, na rede social. Imediatamente, milhares de manifestações de solidariedade e carinho bombardearam a internet. Reconhecimento a um artista que por 26 anos se doou ao Boi-Bumbá Garantindo, conquistando uma legião de admiradores. Seu trabalho nas rádios Clube e Alvorada e como empresário em sua loja Joatapê também o tornaram conhecido na região.

Carinho, solidariedade, reconhecimento, gratidão, tristeza, parabenizações e tantas outras manifestações de fãs e amigos representam e consagram uma trajetória de sucesso de Paulinho. “Você foi e sempre será inspiração querido Paulinho Faria”, disse o levantador de toadas, Sebastião Júnior. O ex-presidente do Garantido, Fábio Cardoso, também lamentou: “meus sentimentos, que Deus conforte o coração de toda sua família”.

Num depoimento emocionante, a fã e vizinha Thinara Ramos compartilhou um pouco de seu contato com Paulinho Faria. “Quando era adolescente sempre o tinha como referência. Moro próximo a casa do Paulinho, nosso vizinho, por alguns anos “meu chefe” – quando trabalhei na bilheteira do Ilha Verde… Ainda sou capaz de ouvir ele e a Paulinha falando para mamãe, essas meninas hum… Pipoquinha dançante: Ele autorizava a mamãe entrar e ainda pedia para o DJ anunciar: ‘Karem, Thinara, a mãe de vocês está na portaria’… como de costume aquela vaia…. corriamos para mesa que ele ficava e ele estava rindo, pois sabia que morríamos de vergonha… Tantas histórias. Você marcou seu nome na nossa história, na história do Garantido, na história da cidade e de nosso estado! Você sempre será a referência, o ícone a ser batido! Descanse em paz e, como aquele nosso vizinho, olhe por nós. Serás eterno”, destacou.

“As cortinas do palco Vermelho e Branco se fecharam para o maior ídolo em vida do nosso Amado GARANTIDO. Que Deus te receba em sua morada Garotinho de Ouro”, postou o torcedor do Garantido, o internauta manauara Fábio Queirós. Assim como também publicou a torcedora parintinense Ocirene Muniz: “É de emocionar! Não tem como segurar as lágrimas, nossa cultura muito bem representada pela humildade, bondade e carisma de um ser humano, Paulinho Faria”.

Admirado por seu talento comunicativo, jornalistas também renderam homenagens à Paulinho Faria. “Paulinho é um dos maiores nomes da história do Festival Folclórico de Parintins e se notabilizou pela quantidade de vitórias e jargões inesquecíveis”, disse o torcedor vermelho e ex-coordenador de imprensa do Garantido, Márcio Costa. “Mais uma notícia triste. Um dos maiores apresentadores de boi-bumbá perde a luta para o coronavírus”, lamentou o jornalista e Garantido, Aroldo Bruce.

O Boi-Bumbá Garantido prepara uma homenagem especial ao apresentador Paulinho Faria. A diretoria planeja o ato, uma vez que também vai obedecer as orientações de saúde dos órgãos sanitários. “É uma perda irreparável para todos nós, pois o Paulinho era um ícone e além disso, era um ser humano incrível. Jamais esqueceremos seu legado de vitórias, de conquistas e o grande amor que ele dedicou ao Boi Garantido. A nação vermelha e branca chora a partida de um dos seus maiores símbolos. Eu, particularmente, perco um amigo. Alguém que tinha profundo carinho, respeito e grande admiração”, declarou o presidente do Boi Garantido, Antônio Andrade.

você pode gostar também