Nas redes sociais, médico Daniel Tanaka afirma que dedica tempo à família

Foto: Reprodução.

Eldiney Alcântara | 24 Horas
[email protected]

Após 11 meses de total entrega ao combate a pandemia do novo coronavírus, o médico Daniel Tanaka, que atuou na linha de frente em Parintins, usou as redes sociais para informar que a partir de agora vai dedicar um tempo à família.

O profissional da saúde viajou ontem à São Paulo e está junto à família, em especial, para acompanhar o pai que realiza hoje uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas.

Acompanhe um trecho do depoimento do médico anestesista, Daniel Tanaka.

“Numa missão em que a entrega é completa, a dedicação é integral e o desejo de cumprir da melhor forma possível é a força motriz para a execução de cada ato, a transformação de uma realidade torna se atingível. Ao adicionar a tudo isso amor e compaixão, a missão se torna nobre.

Minha vida nos últimos 11 meses foi assim. Dedicada única e exclusivamente ao combate à Pandemia. Me sinto honrado de ter encarado dessa forma.

Mas tanta entrega, colocar tanto amor e bravura têm um preço. E muitas vezes, quem paga nem somos nós mesmos.

Eu me refiro à minha família.

Foram eles que ficaram privados de minha dedicação, do meu tempo.

Foram eles que deixaram de ser abraçados, de serem ouvidos. De serem amados. Pois Amor é entrega. Amor é se sentir livre para doar e receber. E eu não pude doar..

Eu estava imerso num oceano, me afogando sentimentalmente com a necessidade de ajudar aos outros, num momento em que deixei de ser pai, esposo, filho e irmão, para ser Médico. E não olhei para o meu tesouro, guardadinho num baú no fundo desse mar. Guardadinho e triste.

Deixar de poder atuar na Pandemia foi doloroso. Mas fez emergir a necessidade de cuidar um pouco de mim e, principalmente, de minha família.

E estou ganhando essa oportunidade nesse momento.

Meu coração se divide ainda, num misto de tristeza e impotência por um lado, mas com paz e esperança em poder estar novamente ao lado de minha família.

 

Daqui a algumas horas meu pai será operado para retirar um tumor em seu Pâncreas. Ainda com um coração demasiadamente fragilizado, após o terceiro infarto, há menos de três meses.

Como homem valente que sempre foi, vai lutar pela única chance de cura, em que a cirurgia, mesmo de altíssimo risco, é a única opção. E eu poderei acompanhá-lo esse momento, não como anestesista, mas como filho , pronto e preparado para o que der e vier”

Assina Daniel Tanaka.

você pode gostar também