Nêga Alencar defende Projeto de Lei para a criação da Campanha “Mulher Solta a Sua Voz”

A vereadora Nêga Alencar (PSC), na sessão de terça-feira, 11 de agosto, apresentou Indicações em busca de melhorias e Projeto de Lei para a criação da Campanha “Mulher Solta a Sua Voz”.

Nêga definiu um investimento verdadeiro como aquele que é iniciado e concluído, com sua execução garantindo que o povo usufrua dele. De acordo com a vereadora, a raiz de males e problemas do município são os projetos esquecidos em papéis, onde muito é prometido e nada se torna realidade.

“Nossa juventude está ociosa, sem oportunidade de geração de emprego e renda. Os comerciantes estão passando por crises. Nossos idosos não aguentam mais apenas receber camisa e ir para uma quadra fazer exercícios, sem que haja um planejamento maior”, frisou.

Projeto de Lei

Nêga Alencar apresentou Projeto de Lei com objetivo de criar a Campanha “Mulher Solta a Sua Voz”. Com ações voltadas ao público em geral, a campanha visa sensibilizar a sociedade sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher, além de promover ampla divulgação da Lei Maria da Penha no município.

“As mulheres serão instigadas a empreender a luta na busca por direitos essenciais dos quais são detentoras, como o respeito pelo seu físico, seu emocional, sua cor e sua raça, em todos os setores que fazem parte”, defendeu a vereadora.

Indicações

Três Indicações foram apresentadas por Nêga. Nas duas primeiras, direcionadas para a Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), a vereadora solicitou melhorias na iluminação da Agrovila Mocambo do Arari, com reposição de lâmpadas queimadas, e a instalação de lixeiras públicas na Avenida São João, localizada na Agrovila. Na terceira e última Indicação, para a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Nêga pediu a inclusão da Rua Antônio Meireles no Plano de Trabalho de Recapeamento Asfáltico, em andamento na cidade. A via está localizada no bairro Itaúna I e seus moradores fizeram abaixo-assinado para enviar ao Governo do Estado, após descaso do Setor de Obras municipal.

você pode gostar também