No AM, 82,8% dos recursos do Auxílio Emergencial alcançaram domicílios com renda mais baixa

Segundo a pesquisa PNAD COVID19, dos 600 milhões do Auxílio Emergencial em maio, mais de 496 milhões de reais beneficiaram famílias com renda domiciliar mais baixa. Em termos populacionais, 62,6% dos 4 milhões de habitantes, residem em domicílios onde pelo menos um morador recebeu o benefício. No total, em maio, foram repassados R$ 600.010.296, distribuídos principalmente para aqueles que estão nos estratos de renda mais baixos da população, cuja renda domiciliar per capita, naquele mês, não ultrapassava R$ 581,86, o que representavam 82,8% dos recursos. A pesquisa do Ibge revela que, dos 966.361 domicílios existentes no Estado, 55,8% (539.547) foram beneficiados, em maio, com o Auxílio Emergencial, que tem por objetivo fornecer proteção social no período de enfrentamento da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Os dados da PNAD COVID-19 MENSAL foram divulgados na quarta-feira (24), menos de três meses da implementação do Auxílio Emergencial, visando apresentar os efeitos da pandemia no mercado de trabalho e na renda da população, de modo a produzir informações necessárias à elaboração de programas de apoio específicos ou de políticas públicas em geral. Já esses resultados, incluem estimativas detalhadas sobre cobertura e focalização do programa. O Auxílio Emergencial é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados.

No Amazonas, 55,8% dos domicílios foram beneficiados com o Auxílio Emergencial. No Amapá e no Maranhão, a proporção de beneficiados foi superior a 60%. Em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal, estados cujo rendimento domiciliar per capita são os mais elevados, a cobertura do programa não alcançou 30% dos domicílios.

Domicílios e População Beneficiados com auxílio emergencial no Amazonas

No Amazonas, do total de R$600 milhões dos recursos do Auxílio Emergencial, em maio, 82,8% alcançaram domicílios cujo rendimento domiciliar per capita era de até R$ 581,86 no mês, um pouco acima de meio salário mínimo.

A pesquisa mostra que, no mesmo mês, o estado tinha 966.321 domicílios. Destes, 55,8% (539.547 domicílios) foram beneficiados com auxílio emergencial. Em todo estado, em maio, residiam 4.034.785 pessoas. Desse total, 2.524.796 pessoas, o equivalente a 62,6% residia em domicílios que receberam o benefício. Em média, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 608,03 para 756,74 com o auxílio emergencial.

Do total dos domicílios beneficiados com Auxílio Emergencial, em maio, cerca de 78,5% era composto de domicílios cuja renda domiciliar per capita era de até R$ 581,86, pouco acima de meio salário mínimo. E do total da população que residia em domicílios beneficiados com Auxílio Emergencial, em maio, cerca de 82,6% das pessoas residiam em domicílios cuja renda domiciliar per capita era de até R$ 581,86.

Auxílio Emergencial Base_Tabelas_AM

Distribuição de Domicílios e População Beneficiados com auxílio emergencial no Amazonas, por faixa de Renda Domiciliar per capita

A pesquisa PNAD COVID19, distribui os rendimentos por classes de renda domiciliar per capita. De forma que haja uma divisão dos rendimentos por faixas para melhor entender a abrangência do Auxílio Emergencial, que é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados.

Os dados mostram que, na primeira faixa de renda, em maio de 2020, o estado do Amazonas tinha 125.645 domicílios sem renda domiciliar média per capita. Desses, 76,6% (96.241 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa primeira faixa de rendimento domiciliar per capita, residiam no estado do Amazonas 464.733 pessoas. Desse total, 367.771 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 79,1%, residiam em domicílios que receberam o benefício. Assim, para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de sem rendimento para R$ 236,19 com o auxílio emergencial.

Em relação à segunda faixa de rendimento, o estado do Amazonas tinha, em maio, 58.923 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era até o superior de R$ 87,45. Desses, 84,4% (49.739 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos, foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa segunda faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 331.597 pessoas. Desse total, 282.882 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 85,3% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Assim, para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 45,52 para R$ 235,68 com o auxílio emergencial.

Na terceira faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 69.689 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de até R$ 174,14. Desses, 81,5% (56.811 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa terceira faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 399.990 pessoas. Desse total, 334.367 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 83,6% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Assim, para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 131,81 para R$ 324,16 com o auxílio emergencial.

Quanto à quarta faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 68.238 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de R$ 174,14 até R$ 261,03. Desses, 77,6% (52.920 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa quarta faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 381.811 pessoas. Desse total, 309.638 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 81,1% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 213,01 para R$ 375,51 com o auxílio emergencial.

Em relação à quinta faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 80.781 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de R$ 261,03 até R$ 348,27. Desses, 72,4% (58.523 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa quinta faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 412.090 pessoas. Desse total, 306.360 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 74,3% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 297,79 para R$ 469,18 com o auxílio emergencial.

Para sexta faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 92.114 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de R$ 348,27 até R$ 449,68. Desses, 59,3% (54.659 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa sexta faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 425.776 pessoas. Desse total, 257.929 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 60,6% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 392,22 para R$ 534,53 com o auxílio emergencial.

Em relação à sétima faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 101,806 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de R$ 449,68 até R$ 581,86. Desses, 53,9% (54.833 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa sétima faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 407.799 pessoas. Desse total, 227.834 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 55,9% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 513,91 para R$ 646,16 com o auxílio emergencial.

Na oitava faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 94.726 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de R$ 581,86 até R$ 789,53. Desses, 53,9% (51.012 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa oitava faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 403.354 pessoas. Desse total, 231.228 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 57,3% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 678,03 para R$ 800,88 com o auxílio emergencial.

Em relação à nona faixa, o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 131.059 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era de R$ 789,53 até R$ 1.262,96. Desses, 30,6% (40.043 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa nona faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 403.921 pessoas. Desse total, 133.712 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 33,1% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 1004,03 para R$ 1.086,83 com o auxílio emergencial.

Na última faixa (10ª), o estado do Amazonas tinha, em maio de 2020, 143.340 domicílios cuja renda domiciliar média per capita era acima R$ 1.262,96. Desses, 17,3% (24.766 domicílios) dentro dessa faixa de rendimentos foram beneficiados com auxílio emergencial. Nessa décima faixa de rendimento, residiam no estado do Amazonas 403.716 pessoas. Desse total, 73.133 pessoas dentro dessa faixa de rendimento, o equivalente a 18,1% dessa faixa, residem em domicílios que receberam o benefício. Para esse contingente, a renda domiciliar per capita média passou de R$ 2.788,41 para R$ 2.838,31 com o auxílio emergencial.

Fonte: IBGE – Unidade Amazonas

você pode gostar também