No Nordeste, quadrilha junina conta história de amor proibido nos bois de Parintins

Por Kássia Muniz e Gerlean Brasil

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

A mistura de elementos cênicos das tradições e toadas dos bois-bumbás de Parintins consagrou a Lume da Fogueira tetracampeã do Festival de Quadrilhas Juninas 2019, na categoria “Estilizadas”, na Arena das Dunas, em Natal, Rio Grande do Norte. A companhia junina de Mossoró, oeste Potiguar, também concorreu ao título no Festival de Quadrilhas da Globo Nordeste 2019, com a participação de representantes de nove estados da Região.

Com o tema “Juntos somos nós”, em homenagem aos dois símbolos da cultura popular brasileira, Caprichoso e Garantido, a companhia junina de Mossoró, oeste potiguar, encantou o público e agradou os jurados, no dia 21 de junho. A festança da Lume da Fogueira conta a história de um amor proibido na festa do boi-bumbá de Parintins entre o tripa do Boi Caprichoso e a Sinhazinha da Fazenda do Garantido, em plena disputa ferrenha, no mês de São João.

No Festival de Quadrilhas Globo Nordeste, o apresentador da Lume da Fogueira, Nil Menezes, faz a narrativa do fato ‘inimaginável, nem tão pouco acontecido’, ao som da toada “Viva Parintins”, do compositor Adriano Aguiar, do álbum Boi Caprichoso 2016, no início da apresentação dos brincantes da quadrilha junina potiguar. O vídeo da apresentação ‘viralizou’ nas redes sociais, via Facebook, e caiu no gosto dos parintinenses.

Ao som das toadas dos bois em forma de pot-pourri, a Lume da Fogueira mostrou personagens dos bois Caprichoso e Garantido, com a Catedral de Nossa Senhora do Carmo na composição do cenário. O amor do tripa do Caprichoso com a Sinhazinha do Garantido é dramatizado, em oração aos santos juninos, para unir os bois rivais no altar e cessar a disputa, com o casamento histórico dos itens dos bumbás, permitido somente no mês de São João.

você pode gostar também