No ritmo do Boi-Bumbá a ópera do malandro é o samba do criolo doido!

Por Nárnia!

O ritmo é de boi, mas, no rebuceteio tribal do mundo que ora é bovino, ora é cão senão dançar miudinho: dança legal. Afinal, é Boi-Bumbá, ópera do malandro ou samba do criolo doido? O mês de junho chegou, e com ele trouxe grandes expectativas e uma única certeza: vai ter festival, sim! Tanto quanto trouxe inúmeras incertezas sobre esta que é a maior festa folclórica da América Latina e uma das maiores do mundo, feita pelas mãos do parintinense: o Festival de Parintins. Dizem que na sede da Compensa Mariza Monte está rouca de tanto cantar: “Nada melhor do que não fazer nada, só pra deitar e rolar com você”. Não é cara da dupla de coveiros: Melo e Robério?

ouvido

DECISÃO…

Na última semana, supostamente, em reunião entre o secretário de cultura, Robério Braga, o presidente da emissora oficial do festival, a TV Acrítica, Dissica Calderaro, Adelson Albuquerque e Joilto Azêdo, presidentes do Boi Garantido e do Boi Caprichoso, respectivamente. Ficou decidido a dinâmica de apresentação do evento, este ano, onde serão três noites de apresentações, sendo disputadas apenas as duas primeiras noites e a última não valerá ponto, será uma noite para os bumbás, torcedores e visitantes brincarem de boi (sic) cumprindo o que diz o regulamento do festival.

…INDECISÃO

O Governo do Estado abandonou o Festival de Parintins, mas, não largou o osso. Ao que tudo indica quer matar [mais uma vez] os bois no cansaço. A indefinição sobre a sua ajuda na área de segurança e saúde do evento tem sido tem travado ações emergenciais: não respondeu até hoje o ofício da Prefeitura de Parintins solicitando permissão de uso do Bumbódromo sob sua responsabilidade transferindo-a para o município como também não definiu o planejamento a ser adotado no evento  nas áreas de saúde e segurança.

RESPONSA…

Muito se teme pela falta de segurança e de atendimento médico no Festival de Parintins após a saída do Governo do Estado da realização e patrocínio do evento, decisão esta que cabe ao governo como de fato o fez. Porém, cabe também, ao governo assegurar a segurança, a ordem pública, a assistência e o atendimento médico do evento como rege a constituição vigente: (http://www.brasil.gov.br/governo/2014/10/seguranca-publica-e-dever-de-estado) (http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=2642); e (http://www.ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=12431).

…BILIDADE

Independentemente de qualquer coisa e/ou de crise o Governo do Estado tem por obrigação legal dispor de todo o aparato de segurança e de atendimento preventivo e emergencial ao Festival Folclórico de Parintins, tendo como base sua proporção enquanto evento aberto ao público que recebe em média 70 mil visitantes, segundo dados da Amazonastur, caso contrário o Estado poderá ser acusado de omissão, negligência e por descumprir o artigo 144 da C.F e o pacto federativo que trata dessa questão.

RESPONSABILIDADE II

Por se tratar de um evento [Festival de Parintins] onde ocorre a cobrança de ingresso, havendo uma relação de consumo, segundo o Código de Defesa do Consumidor [GuiadeDefesadoConsumidor62014] em seus artigos e a proteção da vida, saúde e segurança é direito fundamental do consumidor. Sendo de responsabilidade civil da entidade organizadora, ou seja, da Tucunaré Turismo  [SegurancaEventos]. A não prestação destes serviços poderá implicar ações, por parte dos consumidores se assim entenderem e desejarem.

CDC

O Código de Defesa do Consumidor [CDC72013] trata de outra questão pertinente ao festival em seus artigos 37º e 41º (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078.htm) que tratam da publicidade e do fornecimento de produtos ou de serviços sujeitos ao regime de controle ou de tabelamento de preços, os fornecedores deverão respeitar os limites oficiais sob pena de não o fazendo, responderem pela restituição da quantia recebida em excesso, monetariamente atualizada, podendo o consumidor exigir à sua escolha, o desfazimento do negócio, sem prejuízo de outras sanções cabíveis.

REEMBOLSO

Neste âmbito, recaí sobre a  Tucunaré Turismo, reembolsar os clientes que sentirem-se lesionados pela compra de ingressos de arquibancada especial mais caro (R$ 850) hoje vendidos por R$ 590 inclusos em pacotes promocionais. O cretino colunista recebeu algumas mensagens informando que algumas ações neste sentido já foram realizadas entre clientes e vendendora, até o fechamento desta edição o site da empresa não permitia o acesso para a compra individual de ingressos com acentos e valores disponíveis ao consumidor, apenas pacotes.

papo

LOA

A Lei Orçamentária Anual de 2016 [LOA_2016] foi enviada e aprovada pelo plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) no dia 15 de dezembro de 2015, tendo apenas 03 votos contrários. A LOA 2016 fechou em R$ 16,2 bilhões, sendo R$ 2,4 bilhões destinados para a saúde. Valor este, que ficou acima do mínimo estabelecido por lei em mais de R$ 525 milhões. A afirmação do governador de que preferia comprar remédio para o CECON a investir nas festas populares, entre elas o Festival de Parintins, cai por terra com a declaração da deputada estadual Alessandra Campelo à época da aprovação da LOA.

LOA II

Disse a parlamentar: “É lamentável que o governo não priorize dentro da saúde o atendimento aos pacientes de câncer, que não priorize as doenças tropicais, que não priorize e não tenha uma verba específica para o tratamento de HIV” (http://acritica.uol.com.br/noticias/SUBIR-TERCA-Orcamentaria-Anual-Governo_0_1486051418.html). Como podemos notar a falta de recursos na saúde são oriundos da falta de planejamento, da priorização das ações, pela falta de gerenciamento e pela cumplicidade cega da base aliada que aprovou uma bomba armada ao estilo rolo compressor.

LOA III

O orçamento destinado à saúde em 2015 [LOA_2015] é menor do que o aprovado na LOA de 2016 pelos deputados e não se viu o fechamento de unidade de saúde, tampouco o sacrifício de eventos culturais para priorizar a área. O governador, intencionalmente, jogou a opinião pública contra o Festival de Parintins com o teatro do “caos” na saúde pondo a culpa na crise, quando a mesma é de sua total responsabilidade. Vale lembrar que a arrecadação do estado aumentou (http://amazonasatual.com.br/contrariando-expectativas-receita-do-estado-cresce-258-em-maio-comparada-a-de-2015/), apesar da crise.

CORTE

O governo poderia aprender com a dona de casa que em tempos de vacas magras corta superfúlos, e a cultura e o Festival de Parintins e os demais festivais estão longe de serem superfúlos, poderia sugerir corta os gasto com propaganda que este ano está orçada em R$ 41 milhões [leitor você sabe quanto custa cada inserção publicitária no horário nobre e nos fins de semana na mesma faixa horária? Custa caro…Muito caro!] e não o essencial como apontam as manchetes. (http://amazonasatual.com.br/investimento-em-saude-no-estado-do-am-sofre-corte-de-r-334-milhoes-em-cinco-meses/)

SEC

A Secretaria de Estado da Cultura (SEC) em 2015 trabalhou com um orçamento inicial de R$ 125.510.000,00 sendo autorizada a gastar R$ 119.842.226,01 o que lhe obrigou a reduzir valores nos investimentos da pasta, como por exemplo a redução na cota de patrocínios nos festivais folclóricos do Amazonas: da canção em Itacoatiara, das cirandas de Manacapuru e do festival de Parintins, por exemplo. Mas, nada que a levasse a corta totalmente os recursos para a realização dos mesmos.

2

SEC II

Em 2016, o orçamento da SEC é de R$ 125.640.000,00 sendo autorizada a gastar R$ 124.116.796,98, obtendo um aumento de R$ 4.274.500,97 em sua receita. Deste montante, R$ 30.687.000,00 destinados para o apoio às festas populares na capital e interior que em 2015 foram investidos R$ 24.995.600,00. Como então explicar o cancelamento dos patrocínios das principais festas folclóricas do Estado quando a pasta obtém aumento orçamentário e fazer menos do que o ano anterior com menos recursos? Das duas umas: ou o Robério Braga é um “gênio” ou o cretino colunista é uma “asno”.3

4

5

PREFEITURA

Após 28 anos a Prefeitura de Parintins volta a promover o evento que deu visibilidade e reconhecimento à cidade: o Festival de Parintins. O anúncio foi feito pelo prefeito Alexandre da Carbrás, em viagem a Brasília e a São Paulo, na última quinta-feira, 02, em entrevista a rádios locais. O prefeito anunciou que o Ministério do Turismo confirmou apoio ao evento, além, da procura de dois novos patrocinadores que desejam apoiar o festival. Carbrás reforçou que a prefeitura está fazendo tudo que está ao seu alcance para a realização do evento e reconheceu o papel importante que o Estado teve para o seu crescimento e o seu desenvolvimento. (http://www.correiodaamazonia.com.br/carbras-anuncia-que-prefeitura-de-parintins-volta-a-bancar-o-festival-folclorico/).

seo

– Ó grande espírito vem falar comigo!

– O que tu quer curumim alesado?

– Eu quero sabedoria.

– Tá bom, então faça a sua pergunta.

– O que o senhor vai doar para os bois?

– O que eles mais precisam nesse momento!

– R$ 15 milhões, meu velho?

– Não!

– O que, então?

– Independência, coragem e vergonha na cara!

– Off Line.orelha

O cretino colunista discorda, veementemente, da opinião do conselheiro de artes e radialista Gil Gonçalves no que tange sobre a não realização da disputa no festival deste ano. Segundo o conselheiro, seria um grande prejuízo, uma conta muito alta a ser pagar e a maior das irresponsabilidades para com a festa. Ainda alega que não devemos nos prender a tradição e que, se for preciso, deveríamos pedir desculpas e não disputar. Respeito, porém, discordo!

A maior das irresponsabilidades para com o festival é propor e/ou insinuar que não haja a disputa por conta da crise agravada com a saída do Governo do Estado como patrocinador, pois já abrimos mão de tantas e tantas tradições.

Abrimos mão da tradição da data, antes a festa era realizada nos dias 28, 29 e 30 de junho, hoje no último final de semana de junho; abrimos mão da tradição das chamadas [entrada] e despedidas [saída]; abrimos mão da tradição dos lamparineiros, do espanta-cão, do Gigante, da D. Aurora, dos portais; abrimos mão da tradição de rua e da alegria do Chapão e do Comunas.

Abrimos mão da tradição das toadas caboclas de amor ao boi, por toadas, literalmente, genéricas; abrimos mão da tradição efervescente da Av. Amazonas em frente à Catedral de Nossa Senhora do Carmo; abrimos mão das indumentárias de índios e dos pés descalços de nossos bailarinos e bailarinas; abrimos mão da tradição da rivalidade, hoje tudo junto e misturado em ambos os bois; abrimos mão do sangue parintinense de nossas cunhãs para defender a beleza nativa da ilha em nome da profissionalização e do resultado.

Abrimos mão da tradição dos currais lotados de torcedores, por currais esvaziados pela mesmice e pela politicagem; abrimos mão da tradição do desafio de vencer pela facilidade de ganhar [$$]; abrimos mão da tradição de realizar o festival para agradar governos e olha no que deu; abrimos mão da tradição de conflitos e brigas para temer um olhar torto dos caciques políticos e padrinhos corruptos; abrimos [azuis] mão da tradição da “Fuga do Boi”; abrimos [azuis] mão da tradição, por um breve período, de sair às ruas; abrimos mão da tradição da passeata da derrota; abrimos mão da tradição de ouvir o berrante do Amo do Boi; abrimos mão da tradição oral nas letras das toadas; abrimos mão da tradição da cor, dos símbolos e dos nomes; abrimos mão da laranjada em intrusos na galera oposta e, a mais recente: abrimos mão da tradição de disputar as três noites do festival.

Se abrirmos mão da tradição de ter tradição o que nos restará? O cretino é, vai ser e sempre será contra não disputar as três noites, porque no seu entender isso é um passo, irremediável, para a redução de uma das noites de apresentação sob a falsa e cômoda alegação de “redução de custos”.

Se o conselheiro Gil Gonçalves está disposto a pedir desculpas à tradição que tal começar pedindo desculpas à Nação Azul e Branca pelo seu feito em 1997, que custou o [inédito e lendário] tetracampeonato do Boi Caprichoso? Já seria um bom começo… Para início de conversa!

rap

* A perda da terceira noite como disputa válida é um prejuízo para a festa em si, para o torcedor, para o município, para o pequeno e grande comerciante, para os ambulantes e autônomos, para os patrocinadores, visitantes. Só quem ganha com isso é quem está preocupado com o seu próprio bolso. #NãoENão;

* Será que o cretino colunista está tão enganado ao pensar que haveria uma solução menos ridícula do que a de disputar somente duas noites? Vejamos: a estrutura para as duas noites de disputa será a mesma usada na última noite, certo? Um dia a mais na ilha da comissão julgadora não impacta em um grandiosíssimos custo, certo? #ErradoNãoEstar;

* A dinâmica seria simples: nas duas primeiras noites disputariam os itens individuais, coletivos e artísticos (lendas e rituais), na última noite os mesmos itens itens individuais e coletivos mais a exaltação folclórica ou figura típica regional. #PrecisaQueDesenhe?;

* Então porque não disputar as três noites? Fácil de responder: por assim é mais fácil e cômodo. Nenhum dos dois bois teriam condições de finalizar seus projetos por completo. O que daria para fazer era readequar o que se tem nos galpões e dividir nas três noites. #MáximaVerdade;

* Nesse sentido, o Boi Garantido levaria vantagem por está um pouco mais adiantado do que o Boi Caprichoso. Ao concordar em disputar apenas duas noites presenteia o Boi Caprichoso com uma primeira vitória e penaliza-o com a proibição do uso de guindaste, fundamental para o projeto azulado, desagradando membros do Conselho de Artes. #ElasPorElas;

* Colibri Narniano, o mais belo dos belos e herdeiro bovino, cantou ao cretino colunista a cena mais triste no galpão azulado quando Mestre Jair soube que sua alegoria não seria finalizada para dar prioridade as que entrariam na arena. #MuitoTriste;

* O belo pássaro relatou que foi de corta o coração azul e branco ao ver o histórico artista aos prantos. Por essa e por outras que o cretino colunista é contra a não disputa da terceira noite: é um desrespeito aos artistas que trabalharam meses a fio para chegar agora dizerem: “Não vai rolar, para!”. #EntedeuAgora?;

* Apesar das grandes dificuldades e dos sacrifícios que os trabalhadores dos galpões estão enfrentando o ritmo é mais do que acelerado, uma verdadeira corrida contra o tempo para finalizar os trabalhos que serão apresentados nas duas noites de disputa. O que mais tem atrasado os trabalhos é a falta de material. #TaRussaACoisa;

* Atendendo ao apelo das duas diretorias, torcedores organizaram várias frentes de ajuda para arrecadar doações. Nas redes sociais e nos grupos de WhatsApp é um pede, pede sem fim, mas, tudo por uma causa nobre: finalizar o boi. A crise e a banana do governador para com o evento, despertou a solidariedade do parintinense desde o mais humilde ao empresariado da ilha. #LadoBom;

* Na sexta-feira, 03, rolou a Noite da Constelação Azulada durante o ensaio show da Marujada de Guerra com a presença do time completo do Boi Caprichoso para disputar o festival deste ano: a cunhã, Maria Azêdo, a rainha Brena Dianná, a sinhá Adriane Viana e a guardiã tribal, Taissa Brasil. Restam só mais dois ensaios no Atlético Rio Negro antes da disputa na arena. #BoaSorte;

* A menos de 20 dias do Festival de Parintins as dúvidas não diminuem, pelo contrário, só aumentam. Dentre elas: o Governo do Estado fará ou não o seu papel para com o festival, enquanto evento de grande porte que reúne uma multidão? O Bumbódromo será ou não liberado para os bois e/ou para a prefeitura de Parintins? Quem vai pagar pela operacionalização do evento? Como ficará a questão de jurados? Quem arcará com os custos da Comissão Julgadora?#RespostasPorFavor;

* Marcelo Serafim anunciou em seu perfil no Facebook que ligou para o Ministro das Minas e Energia que teria confirmado o patrocínio da Eletrobras para o festival de Parintins de forma integral, ou seja, R$ 700 mil. Porém, não há nenhuma confirmação oficial por parte da estatal quanto o valor do investimento para este ano. #TomaraMesmoQueVingeIntegralmente;

* O Curral do Boi Garantido do último sábado, 04, celebrou os 20 anos do Movimento Amigos do Garantido – MAG – de atuação na capital dos Baré. O principal e mais importante propagador da Baixa do São José em Manaus reuniu seu elenco tradicional em uma noite de emoções e recordações. O MAG é atualmente presidido por duas mulheres: Izoney Tomé e Welciane Jacintho , presidente e vice, respectivamente. #ParabensATodosDoMAG;6

* A grande atração do evento foi a presença do senador Cristóvão Buarque que de passagem a Manaus recebeu o convite de conhecer de perto a tradição do povo parintinense. Buarque afirmou ao cretino colunista que sentia-se muito feliz e honrado em conhecer a festa de Parintins de quem tanto ouve falar. Mas, nem tudo foram flores na passagem do senador no curral red, em sua saída ouviu do camarote da imprensa o coro de Fora Temer. #ReagiuComSimpatia;7

* Mais uma vez o Camarote Pavulagem fervilhou com convidados e profissionais da imprensa Baré que  caiu ao som das toadas vermelhas e brancas, sendo recepcionados pelo casal Mencius Melo e Chris Reis. com o serviço da Tacacaria Parintins e da Moto Honda da Amazônia. #Bafônico;8

* No Camarote do Bradesco  desfilaram o  compositor Rafael Marupiara, a presidente do MAG, Izoney Tomé e o casal Juliana Delmiro e Pedro Luis, dentre outros. #Badalado;9

* Os últimos eventos rubros antes da disputa do campeonato serão: dia 11, na quadra da Vitória-Régia o último curral com a Noite do Levantador; dia 18 no Centro de Convivência do idoso da Aparecida a tradicionalíssima Feijoada do MAG e dia 19 a Carreata rumo à vitória no Almirante Hall. #Agendem;

* Os últimos eventos azulados antes da disputa do bicampeonato serão: dia 11 no Clube do Sesi, a tradicionalíssima Feijoada do Movimento Marujada; dia 12 no Clube da Assinpa o evento mais bonito do MM, o Bar do Boizinho e dia 18 na quadra da Aparecida o último Bar do Boi da temporada. #Agendem2;

* Na próxima quarta-feira, 08,  às 19h30 no Gargalo Sport Beer acontecerá o evento de lançamento da campanha “Brahma – O Sabor do Festival”. A cerveja oficial do festival dá início a sua peça publicitária que tem como objetivo maior a divulgação do festival e a interação com as duas nações incentivando a rivalidade. #VouMesmo;

10

* Qual o sabor do festival pra você? Essa é a pergunta que a Brahma faz aos torcedores de Caprichoso e Garantido para a disputa das hastags deste ano, onde as duas nações poderão compartilhar com a marca o sabor do festival segundo suas próprias opiniões através de fotos compartilhadas nas redes sociais usando as fastags: #brahmasaborcaprichoso e #brahmasaborgarantido. #GuerreirosEChegadaAHora11

* As hastage já estão valendo a partir desta semana até o final do festival, quando será declarada a grande campeã no site brahma.com.br/osabordofestival. Vale ressaltar que a atual campeã das hastags é a nação azul e branca e que a batalha das galeras foi um sucesso e uma febre entre os torcedores. #QueComecemOsJogos;

12
Imagem Divulgação

* A Rádio Jovem Pan realizará no próximo sábado, 11, a PANNIGTHRUN especial Parintins 2016. A corrida em homenagem ao Festival de Parintins. Serão 10k em um percurso marcado pela divisão das cores que predominam na ilha: azul e vermelho. #CorraCorraCorra;

alvo

boa

14

15

16

17

É só por hoje…

… Por hoje!

Até a próxima…

#SouVítima!

você pode gostar também