-Publi-A-

Nobel de Literatura critica prisão de jornalista e acadêmico na Turquia

O escritor Orhan Pamuk, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, afirmou que a Turquia vive um “regime de terror” ao comentar a prisão do jornalista Ahmet Altan e do irmão dele, Mehmet Altan, professor universitário e economista de renome.

A crítica foi feita em um artigo publicado pelo jornal italiano La Repubblica. “Estou muito chateado, quero expressar minhas críticas mais ásperas contra a prisão do escritor Ahmet Altan, de um dos grupos mais importantes do jornalismo turco, e de seu irmão, Mehmet Altan”, escreveu.
Pamuk diz que a Turquia fecha “em celas” todas as pessoas que fazem qualquer tipo de questionamento sobre as ações do governo, “baseando-se no ódio mais feroz”. “A liberdade de pensamento já não existe. Estamos nos afastando a toda velocidade de um Estado de direito e vamos para um regime de terror”, pondera.
De acordo com a Reuters, Altan, que é ex-editor-chefe do jornal Taraf, e seu irmão, foram detidos após seus comentários em um programa de TV que foi ao ar um dia antes da fracassada tentativa de golpe, em julho.
O diário, que foi fechado depois que soldados rebeldes tentavam tomar o poder, era considerado próximo à rede do clérigo Fethullah Gulen, que foi acusado de orquestrar o golpe. O clérigo nega qualquer envolvimento.
Mais de 100 jornalistas foram presos desde o dia 15 de julho. Alguns dos profissionais são conhecidos por seu ativismo de esquerda e não compartilham a visão de mundo religiosa do movimento de Gulen.
Do Portal Imprensa
você pode gostar também