-Publi-A-

Novo nome do Aeroporto de Congonhas, Freitas Nobre foi jornalista e lutou contra Ditadura

Crédito:J.C.Brasil/CPDoc JB

O Aeroporto de Congonhas passou a se chamar “Deputado Freitas Nobre” desde esta segunda-feira, 19, quando uma lei foi sancionada pelo Presidente Michel Temer e publicada no Diário Oficial da União. Além de ter sido um dos parlamentares mais críticos ao regime militar que governou o Brasil de 1964 a 1984, o homenageado (1921 – 1990) era jornalista.

Nascido em Fortaleza, Freitas Nobre primeiro se formou em direito na Universidade de São Paulo, em 1948, e sua atuação como jornalista fez dele presidente do Sindicato da categoria. De vocação política nata, Nobre foi vice-prefeito de São Paulo de 1961 a 1965, na chapa encabeçada por Prestes Maia.

Elegeu-se deputado federal em 1970 pelo Movimento Democrático do Brasil, portanto era oposição à Ditadura Militar que governava o País. Mesmo dentro do MDB, o parlamentar assumiu posturas de enfrentamento a posições partidárias com as quais ele não concordava em algumas ocasiões e perdeu o posto de líder do partido para Tancredo Neves em 1978, que Nobre havia alcançado em 1978.

Uma de suas atuações como deputado federal foi para proteger a liberdade de imprensa no Brasil, por isso apresentou, em 1978, 29 emendas à Lei de Sgurança Nacional no sentido de colocar fim a restrições que os profissionais vivenciavam. Nobre acusava o governo de tratar jornalistas como marginais.

Nos anos finais da Ditadura, o deputado lutou pela Lei de Anistia e pelo movimento das Diretas Já. Freitas Nobre também foi Professor da Faculdade de Comunicação e Artes da USP e escreveu diversos livros. Morreu em São Paulo aos 69 anos, em 19 de novembro de 1990.

Do Portal Imprensa

você pode gostar também