-Publi-A-

Oposição lança seus candidatos a presidência da Assembleia

José Ricardo Wendling (E) entrou na disputa pela presidência da Casa. Foto: Divulgação

A corrida pela presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE) movimentou o Plenário, na quarta-feira (09), quando três deputados estaduais se lançaram como candidatos a vaga. Alessandra Campelo (PMDB), José Ricardo (PT) e Sinésio Campos (PT) anunciaram oficialmente que estão disponíveis para disputarem o pleito para ser o presidente do próximo biênio 2017-2018.

A eleição acontecerá na ultima sessão de votação de projetos dos parlamentares neste ano e, por isso, os deputados começam a articular suas candidaturas. Além dos três parlamentares que já declararam que são oficialmente candidatos, há uma expectativa nos bastidores de que outros três nomes venham disputar o cargo, como o deputado licenciado, e secretário de Produção Rural, Sidney Leite (PROS), o atual vice-presidente da ALE, deputado Belarmino Lins (Pros), e o atual líder do Governo na Casa, deputado David Almeida (PSD), que disse que só se pronunciará sobre a possível disputa a presidência na primeira semana de dezembro.

Afirmando que reúne as condições para presidir a mesa diretora, Alessandra Campelo, acredita que há uma reorganização de forças políticas dentro da Assembleia. De acordo com ela, os grupos na Casa estão ensaiando uma maior independência, pois, ela afirma que alguns deputados da base do governo estão insatisfeitos com a forma de gestão da atual presidência exercida por Josué Neto.

“A minha candidatura vem enquanto meu partido faz parte da Presidência da Pepublica, da vice-prefeitura de Manaus e tem uma pessoa (Eduardo Braga) que na eminente cassação do governador José Melo, assumirá o cargo. Isso mostra que queremos espaço, inclusive presidindo a Assembleia”, disse Alessandra ao ressaltar que tem o apoio dos demais parlamentares aliados ao PMDB ou que fazem parte da sigla.

Se pautando pelas eleições americanas e estranhamente se comparando a Donald Trump, Sinésio Campos afirmou que em todo o mundo estão acontecendo mudanças políticas. Para ele, nem sempre o que é apontado a vencer uma eleição fica com a vitória. O parlamentar afirma estar preparado para ser o novo presidente da ALE.

“Nos Estados Unidos, as pesquisas davam Hilary Clinton como vencedora, mas acabou com Trump vencendo. Isso quer dizer que a política está passando por uma mudança. Estou me colocando, hoje, como candidato e fazendo um diferencial que é propor aos candidatos um debate. Eu sei que quem vota são os deputados, mas a população precisa saber o que o poder Legislativo representa para a sociedade”, disse Sinésio, destacando que sua trajetória ‘pede’ que ele seja candidato.

Mesmo com o Partido dos trabalhadores tendo Sinésio Campos como candidato a presidência da ALE, José Ricardo também se lançou para concorrer a vaga. Durante a sessão plenária desta quarta-feira (9), os dois parlamentares debateram, na tribuna do Plenário, sobre qual deles disputaria a presidência representando o partido.

“O deputado Sinésio não debateu nada comigo sobre ser candidato e fez a escolha sozinho assim como fiz a minha escolha de disputar a vaga e rever as formas de trabalho na Casa, trazendo a participação da mulher na mesa diretora, além de valorizar os funcionários concursados da Assembleia”, ponderou José Ricardo.

Em resposta ao colega de partido, Sinésio apenas afirmou que é o líder da sigla na Assembleia e, por isso deveria ser comunicado sobre a decisão de José Ricardo.

 

você pode gostar também