Organização para evitar filas por Auxílio Emergencial termina em aglomeração no Bumbódromo  

Foto: Gilson Almeida

Gilson Almeida | 24 Horas

parintins.24horas

Parintins (AM) – A distribuição de senhas para autoatendimentos ou serviços essenciais da Caixa Econômica Federal não conseguiu evitar a formação de uma fila gigantesca, no Bumbódromo, sob sol e chuva, desde a madrugada neste domingo (26). A busca pelo acesso ao pagamento de Auxílio Emergencial do Governo Federal causou esse grande fluxo de pessoas.


Para solucionar o problema de aglomeração, a entrega de senhas foi definida pelo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, em Parintins, no dia (23). A organização contou com 45 funcionários da Prefeitura de Parintins, Caixa Econômica, Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Guarda Municipal e Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação (Semasth).

A entrega das senhas estava prevista para começar, a partir das 14h. No entanto, as filas começaram de madrugada na área de concentração do Bumbódromo, na Rua Paraíba, e chegaram às vias adjacentes, sem respeito à recomendação de dois metros de distância entre as pessoas, como forma de prevenção ao novo coronavírus.

O trabalhador autônomo Rildo Maciel, 42 anos, beneficiado com o Auxílio Emergencial do Governo Federal, foi para a fila às 9h e conseguiu uma senha, por volta das 17h. “Eu peguei sol e chuva. É constrangedor, mas fazer o que? De qualquer forma, já é uma ajuda pois está terrível a situação”, desabafou.

A titular da Semasth, Zeila Cardoso, informou que a liberação do Bumdódromo foi solicitada ao Governo do Amazonas, por ter um espaço maior e possibilitar fazer as demarcações, para evitar aglomerações. A secretária de assistência social afirmou que foram distribuídas cerca de 4.700 senhas para atendimentos, nos dias 27, 28, 29 e 30 de abril.

Zeila Cardoso disse que, com o grande fluxo de pessoas, houve a necessidade de antecipação da entrega das senhas para às 13h, com separação por atendimento estipulado pela Caixa e loterias. Ela relatou a realização de atendimento preferencial de grávida, idosos e deficientes. “Infelizmente, a população veio fora do horário que nós tínhamos marcado. O horário era 14h, justamente, porque a gráfica iria entregar 12h as senhas”, explicou.

Esta medida, que teve como objetivo reduzir o fluxo de pessoas nas casas lotéricas e na agência da Caixa Econômica, durante a semana, será avaliada pelo Comitê de Enfrentamento ao Covid-19, para ser discutido se haverá distribuição de novas senhas, após o dia 30 de abril.

“Hoje, o impacto de entregar senhas para toda a semana, nós só vamos saber o efeito no decorrer da semana, se as pessoas vão obedecer direitinho, porque elas já vão estar com suas devidas senhas. Se o comitê definir que não foi uma boa alternativa, com certeza, vamos acatar as novas estratégias a serem decididas”, comunicou Zeila Cardoso.

Os clientes correntistas não precisaram pegar senhas, pois terão o horário das 15h30 às 17h, de segunda-feira a sexta-feira, para usarem os caixas eletrônicos do banco, com o cartão da conta e identidade na agência bancária. Além das problemáticas causadas pela pandemia, foi flagrada a venda de senhas. A Polícia Civil vai agir para identificar a autoria.

você pode gostar também