Pais ficam indignados ao encontrarem material escolar não utilizados no lixo da escola

Gilson Almeida24 Horas

[email protected] 

Parintins (AM) – Na manhã desta quarta-feira, 05, pais ficaram indignados ao encontrarem material escolar do ano passado que não foram usados pelos alunos no lixo. O caso aconteceu no Centro Educacional Infantil Alvorada.

Segundo Ciria Tavares que tem uma sobrinha que estuda o maternal na escola, os materiais foram encontrados no lixo por um pai ao abrir as caixas de papelão e os sacos pretos. Com isso outros pais também foram averiguar e ficaram inconformados com o que viram.

Governo do Amazonas 2

Ciria relata também que no lixo havia tubos de cola cheios, desenhos para colorir, papéis Chamex em branco, entre outros materiais que poderiam ser reutilizados. “Eu acredito que eles não deveriam ter jogado, deveriam ter guardado para crianças que precisam. Pode até ser material do ano passado, mas tem muita criança que não tem condições de comprar. Por que não reultilizaram aqueles trabalhos que estavam todos limpos?”, questionou Ciria.

“O rapaz que abriu os sacos inclusive disse que ia procurar os direitos dele e ia falar com a diretoria porque ele é um pai que não têm condições de comprar todo o material e ele faz todo o esforço para comprar ao menos a metade. Quando chega ele vai abrir todos os sacos e estão os materiais que poderiam ser reaproveitados. Acho isso um absurdo”, prosseguiu.

Tavares disse que ao verem a quantidade de materiais que poderiam ser reutilizados muitos pais pegaram e levaram para seus filhos.

A gestora do CEI Alvorada, Rosilandia Simas Neves, afirma que o material encontrado na frente da escola eram trabalhos feitos pelos alunos no ano passado cujo os pais não foram buscar. Ela alega também que os objetos jogados no lixo foram recolhidos por uma trabalhadora de serviços gerais em que fazendo a limpeza de uma das salas de aula pegou as caixas e os sacos pretos sem abrí-los imaginando que fossem realmente lixo.

A gestora disse ainda que ficou sabendo do impasse através de uma professora que estava no local no momento do ocorrido. “Não era material que faltava usar, já era atividade feita. Aqui na escola inclusive tem um monte de atividade feita pelos alunos no ano passado e continuam aqui e a gente precisa que esses pais venham buscar. Eu procurei falar com esse pai, que era só um inclusive, que abordou a professora e ele não soube falar, já veio bem alterado, me relatou a professora agora pela manhã “, disse a gestora.

você pode gostar também