-Publi-A-

Parceria de institutos vai viabilizar estudo sobre uso do Índice de Progresso Social em Juruti

Um parceria entre Instituto Juruti Sustentável (IJUS) e Instituto Alcoa, vai viabilizar um estudo sobre a potencial adoção do IPS – Índice de Progresso Social como sistema de medição dos indicadores para acompanhar o desenvolvimento do município de Juruti, no oeste do Pará. O estudo será realizado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

Também haverá acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas como sistema de metas a serem atingidas até 2030. Um total de R$150 mil está sendo destinado para implementar o estudo de viabilidade. Metade do valor pelo IJUS e outra metade pelo Instituto Alcoa.

O desejo de atualizar indicadores locais se fortaleceu a partir do 1º Encontro Regional de Ações para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia, promovido pelo IJUS em novembro/2017, quando representantes de várias instituições e cidadãos de Juruti realizaram uma reflexão sobre os rumos do desenvolvimento de Juruti e o Imazon esteve presente demonstrando sua experiência na aplicação do IPS Amazônia, outras localidades do país e do mundo.

Explicando o projeto

Para a construção do IPS Juruti, a participação da sociedade local será muito importante, validando e certificando a ferramenta  (Foto: IJUS/Divulgação)
Para a construção do IPS Juruti, a participação da sociedade local será muito importante, validando e certificando a ferramenta (Foto: IJUS/Divulgação)

Desde a semana passada, consultores do Imazon realizam uma série de “escutas e diálogos” com poder público, representantes de associações e organizações civis do município, explicando o projeto IPS Juruti.

“Os indicadores são fundamentais para embasar políticas públicas pautadas nos problemas e nas potencialidades que o município tem. Esta é uma parceria primordial do IJUS, Instituto Alcoa e Imazon”, comentou a diretora Social em exercício do IJUSAubélia Tavares.

“O IPS é uma ferramenta que permite fazer um Raio-X do município, desde o nível das comunidades até a sua sede, comparando índices diversos, como segurança, nutrição, habitação, educação, saúde e comunicação, por exemplo. É um índice que dá uma leitura geral. E a sociedade local pode priorizar os problemas do município. É um instrumento de gestão que hoje está sendo aplicado em diferentes partes do mundo”, falou Beto Veríssimo, diretor do Imazon.

Para a construção do IPS Juruti, a participação da sociedade local será muito importante, validando e certificando a ferramenta para ajudar a identificar problemas e pontos fortes do município e, assim, buscar uma melhora na qualidade de vida da população.

O IPS mede o grau de satisfação e o real bem-estar social das pessoas independentemente do desenvolvimento econômico. O índice utiliza três parâmetros do processo social divididos em:

  1. Necessidades Humanas Básicas – Nutrição e cuidados médicos básicos; Água e saneamento; Moradia; Segurança pessoal.
  2. Fundamentos para o Bem-estar – Acesso ao conhecimento básico; Acesso à informação e comunicação; Saúde e bem-estar; Sustentabilidade dos ecossistemas.
  3. Oportunidades – Direitos individuais; Liberdade individual e de escolha; Tolerância e inclusão; Acesso à educação superior.

“As informações trazidas pelo IPS são muito importantes para que o governo, a partir de cada secretaria, possa enxergar onde estão as situações mais críticas e avanços, e a partir daí fazer seu plano de ação. Inclusive fazendo melhorar o Índice de Progresso Social do nosso município”, declarou o secretário de Governo de Juruti, Zé Maria Melo.

Metodologia

A metodologia de avaliação da viabilidade da utilização do IPS em Juruti é dividida em três fases. A primeira está sendo finalizada agora, onde foram realizadas conversas com representantes da sociedade.

Na segunda etapa, os consultores irão analisar todo o material colhido em Juruti e, em meados de julho, apresentarão uma proposta final verificando a viabilidade da aplicação do IPS em Juruti. Sendo aplicável, o Imazon formulará proposta para a realização da terceira etapa que consiste no levantamento de informações para a elaboração o IPS Juruti – esta terceira etapa deve ocorrer no próximo ano.

“Esta é uma iniciativa de parceria extremamente importante entre IJUS, Instituto Alcoa e Imazon. A ideia e de que no ano que vem consigamos ter os indicadores rodando numa base comparativa com outros municípios, isso nos possibilita saber onde precisamos colocar mais investimentos para o município de Juruti”, disse o gerente Institucional da Alcoa Juruti Rogério Ribas.

Com informações do g1

você pode gostar também