-Publi-A-

Parintinense com deficiência rara supera dificuldades e produz obras de artes

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Talento e superação é o que define o artista parintinense Railson Gomes, de 12 anos. Ele é uma pessoa com uma deficiência rara chamada artrogripose múltipla congênita que se refere a uma variedade de condições que envolvem limitação congênita dos movimentos das articulações e por conta disso ele precisa da cadeira de rodas para se locomover. Superando suas limitações, Railson hoje se destaca ao expor nas redes sociais as belas obras de artes produzidas por ele.

Com um mês e 15 dias de vida ele foi transferido para Manaus onde ele com sua mãe morou por sete anos. Atualmente o artista estuda o 7º ano na Escola Municipal Luz do Saber e a sua inspiração para entrar no mundo da arte foi o seu tio, como conta a mãe do Railson, Lucinei Carvalho.

“Em uma das nossas férias vindo a Parintins ele viu meu irmão desenhar o rosto da filha dele e ele ficou prestando atenção. O Railson tinha 6 ou 7 anos. Foi então que Railson pediu um lápis e um papel para desenhar e meu irmão deu. O Railson gosta muito desenhar desenhos animados que são os mais encomendados pelos pais das crianças”, disse Lucinei.

Em 2018 Railson e sua mãe voltaram a morar em Parintins e no final desse mesmo ano, quando Railson estudava na Escola Municipal Waldemira Bentes uma equipe do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro estiveram no educandário em busca de crianças e adolescentes que quisessem fazer um dos cursos promovidos pela instituição. Foi então que Railson aproveitou a oportunidade para cursar desenho durante ano de 2019. Junto com ele, ingressaram também no Liceu sua irmã no curso de balé e seu irmão autista no curso de violão. No curso de desenho, Railson fez questão de não receber tratamento diferenciado por conta de sua deficiência e sim ser tratado como outras crianças e seu talento artístico surpreendeu seu instrutor.

Railson e sua mãe saindo de casa. Foto: Divulgação.

Dia 29 de outubro de 2019 o instrutor do curso ficou ainda mais surpreso ao ter seu rosto e as mãos segurando uma planta desenhados pelo Railson na sua primeira exposição de arte contemporânea realizada no Liceu. No mesmo ano, ao ver um deficiente visual desfilar no carnaval em uma escola de samba tocando um instrumento musical, ele ficou determinado a se apresentar no festival tocando na Marujada de Guerra do Boi Caprichoso o que acabou acontecendo.

Railson Gomes na terceira noite do Festival de Parintins. Foto: Divulgação.

Em março de 2020 os cursos presenciais do Liceu de Artes foram suspensos por causa da pandemia, mas o Railson continuou praticando seus desenhos em casa por meio de pesquisas e nesse mesmo ano, ao postar nas redes sociais, uma amiga se interessou por uma das obras e Railson vendeu seu primeiro desenho.

Primeiro desenho vendido. Foto: Divulgação.

Nesse ano o Railson foi convidado para participar do projeto cultural “Arte de Curumim” do artista Glaucivan Silva, tendo o seu primeiro contato com a tela e tinta em que pintou para a exposição do projeto uma tela em preto e branco. Terminando o projeto, ele continuou com suas pesquisas e resolveu pintar sua segunda tela, mas dessa vez colorida e contou com a ajuda do artista Glaucivan para obter os materiais necessários. Sua segunda tela também chamou atenção e uma pessoa decidiu comprá-la. Railson Gomes deixa uma mensagem para todos os jovens.

“Acredite na sua capacidade de superação e nunca se esqueça, quanto maior for a sua dificuldade maior será seu fortalecimento”, falou.

Railson mora no Bairro União e usa suas redes sociais para divulgar suas obras de arte.

você pode gostar também