Partidos divulgam nota de repúdio às declarações de Dilma a jornais estrangeiros

Na última terça-feira (19/4), líderes no Congresso e de 14 partidos divulgaram nota de repúdio às declarações de Dilma Rousseff a jornalistas da imprensa internacional. Para os dirigentes, a presidente inverte sua posição de autora em vítima.

Durante a entrevista coletiva a correspondentes estrangeiros no Palácio do Planalto, Dilma disse que não cometeu crime de responsabilidade e que o processo de impeachment ao qual responde no Congresso não tem base legal e é um golpe.
Os partidos destacaram que “o impeachment foi chancelado pela Suprema Corte do Brasil” e que a presidente insiste “no erro de tachar de ‘ilegal’ e ‘golpista'” a ação dos deputados, que autorizaram que o Senado dê andamento no processo de impedimento.
“A vã tentativa de vitimização, sob a alegação de injustiça, não encontra amparo no relatório da Comissão Especial, na decisão do Plenário da Câmara dos Deputados, nas decisões do STF, na realidade dos fatos e na soberana vontade da ampla maioria da população brasileira”, ressaltam.
O texto é assinado pelos presidentes do PMDB, PRB e PTN, respectivamente senador Romero Jucá (PMDB-RR), Marcos Pereira e Renata Abreu, e pelos líderes na Câmara do PSDB, PSD, PSB, DEM, PTB, Solidariedade, PSC, PPS, PV, PROS e PSL.
Do Portal Imprensa
você pode gostar também