Passageiros pedem ‘socorro’ e vão processar MAP por transtornos

Da Redação | Parintins 24 Horas

[email protected]

Parte de equipe do Governo do Amazonas, vinculada ao Sistema Sepror (Secretaria de Estado da Produção Rural), teve o voo cancelado da MAP Linhas Aéreas, na tarde de sábado (14/12). Os passageiros foram surpreendidos pela notícia, no Aeroporto Eduardo Gomes, e fretaram uma aeronave para chegar a tempo da abertura da 34ª Exposição Feira Agropecuária de Parintins (Expopin), no início da noite.

superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Amazonas, João Jornada

Neste domingo, de passagem comprada, o superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Amazonas, João Jornada, não conseguiu embarcar para Parintins, em voo da MAP. “Socorro! Alguém ajude Parintins! Chegamos ao aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus, com uma hora e dez minutos de antecedência, com passagens para Parintins”, descreveu, indignado, em publicação nas redes sociais.

João Jornada afirmou que “fomos informados que haviam trocado a aeronave por uma menor e o voo estava lotado. Um absurdo! Várias pessoas sem poder viajar. A MAP tá um caos e ninguém faz nada! O poder público não faz nada! Para piorar, o porto improvisado é só lama. O povo de Parintins e seus visitantes não merecem isso. Em plena Expopin reduzem voos, esculhambação geral! Vergonha!”.

Desrespeito em Parintins

A ver navios, lanchas e canoas. Foi assim que passageiros da MAP Linhas Aéreas ficaram na tarde deste domingo, 15 de dezembro, em Parintins. Pelo menos 10 clientes da empresa que esperavam embarcar no vôo 5971 no Aeroporto Júlio Belém não tiveram êxito e ficaram revoltados com o descaso da empresa com o Direito do Consumidor.

Uma das clientes prejudicadas foi a advogada Nazira Marques de Oliveira, que precisava estar em Manaus impreterivelmente na noite de domingo. Ela, que trabalha como Procuradora-Geral da Prefeitura de Itacoatiara, tinha compromisso profissional na manhã de segunda-feira, 16, e não poderá chegar a tempo.

“Infelizmente a MAP deve ter vendido mais passagens do que a capacidade da aeronave, o que configura a prática de overbooking. Isso é um absurdo, um total desrespeito ao Direito do Consumidor”, disse advogada, informando que vai processar a empresa.

A MAP não explicou os motivos pelos quais não embarcou os passageiros, no entanto, publicou a seguinte nota no balcão no aeroporto de Parintins: “Informamos que, por restrições operacionais, não foi possível o embarque de todos os passageiros no voo de hoje. Faremos o atendimento do voo e após a decolagem retornaremos às tratativas no balcão”.

Problema recorrente

O problema vem se repetindo. No sábado, 14, um dos compositores do Boi Garantido, Rubens Alves, não conseguiu embarcar no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus. Ele tinha passagem aérea comprada para cumprir agenda de trabalho na 34ª Exposição Agropecuária de Parintins (Expopin) e na festa de 10 anos de carreira do levantador do Garantido, Sebastião Júnior. Assim como advogada Nazira Marques, ele também foi prejudicado pela MAP.

A advogada informou que está fazendo um levantamento com outros consumidores vítimas do mesmo problema. Ela estuda ingressar na Justiça com uma ação por danos morais e materiais.

Texto: Gerlean Brasil e Emanuel Mendes Siqueira

você pode gostar também