Pela quarta eleição consecutiva, mulheres são maioria do eleitorado no Amazonas, aponta TSE

Eleições municipais foram adiadas para 15 de novembro deste ano, por conta da pandemia de Covid-19. Em todo o Estado, 2.503.228 eleitores estão aptos a votar.

Pelo quarto ano eleitoral consecutivo, as mulheres são maioria do eleitorado amazonense, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dos mais de 2,5 milhões de eleitores aptos a votar em 2020, no Amazonas, mais da metade (51,%) são do sexo feminino, e os homens representam 48,7% do eleitorado.

As eleições municipais, que estavam previstas para acontecer no primeiro domingo de outubro, em todo o País, foram adiadas para o dia 15 de novembro, em razão da pandemia de Covid-19, que até domingo (16), já infectou mais de 111 mil pessoas e matou mais de 3,4 mil em todo o Amazonas.

 

 

De acordo com os dados do TSE, este ano, 1.283.669 mulheres poderão comparecer às urnas em todo o Amazonas, junto de 1,219.559 homens, ou seja, um total de 2.503.228 eleitores. Desde 2014, a quantidade de mulheres no eleitorado amazonense vem sendo maior que o número de homens.

Em 2014, 49,2% do eleitorado era composto por homens, e 50,8% eram mulheres. Em 2016, as mulheres representavam 52,2% de todo o eleitorado, e os homens, 47,7%. Em 2018, 52,5% de todo o eleitorado amazonense era feminino, e 47,5% masculino.

ESCOLARIDADE DO ELEITORADO DO AM EM 2020

GRAU DE INSTRUÇÃO NÚMERO PERCENTUAL
Analfabeto 140.194 5,6%
Ensino Fundamental Completo 116.26 4,64%
Ensino Fundamental Incompleto 507.140 20,26%
Ensino Médio Completo 782.528 31,26%
Ensino Médio Incompleto 392.183 15,67%
Ensino Superior Completo 235.697 9,42%
Ensino Superior Incompleto 164.384 6,57%
Lê e escreve 164.838 6,58%
Não informado 41 0%

Eleições em meio a pandemia

 

Nas eleições de 2020, os eleitores vão escolher um prefeito e 42 vereadores no dia 15 de novembro. As eleições foram adiadas em todo o país, como medida de prevenção ao novo coronavírus. Este ano, o Amazonas terá um número de urnas e sessões reduzido no pleito.

Segundo o presidente do Tribunal, desembargador Aristóteles Thury, a medida acontecerá devido a uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de remanejamento de urnas para o Mato Grosso do Sul.

você pode gostar também