-Publi-A-

Planetários de Manaus e Parintins passam a integrar rede Sul-americana

Figura 01: Planetários de Manaus e Parintins. NEPA/UEA/CNPq.

No início de Agosto, aconteceu o “X Encuentro de la Asociación de Planetarios de América del Sur (APAS)”.  Esta foi a primeira edição a contar com a participação de planetários da região Norte do Brasil, ambos do estado do Amazonas.

Figura 02: X Encuentro  de la Asociación de Planetarios de América del Sur (APAS) – 2017.

O “Encontro da Associação de Planetários da América do Sul” é um evento periódico que tem como sede um planetário desta região continental.  Fundada em outubro de 2003, a APAS é uma entidade internacional que visa  promover a colaboração e integração dos planetários da América do Sul.

Actualmente fazem parte da APAS um selecto grupo formado por 25 planetários institucionais associados, com mais de 200 sócios de nove (09) países, a saber: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru, Venezuela e Uruguai.

A partir de  2017,  os Planetários de Manaus e Parintins passam a integrar a lista de associados, sendo seu director, Dr. Nélio Sasaki um dos membros da APAS. “Um importantíssimo passo para a Astronomia brasileira, em particular para a região Norte do Brasil. O Amazonas  tem sido exemplar ao financiar projectos de pesquisa e ensino em Astronomia. E tudo começou com o financiamento da FAPEAM – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas – com o qual foi possível a aquisição dos Planetários de Manaus e Parintins. Temos que sublinhar a importância do apoio da Reitoria da Universidade do Estado do Amazonas (na pessoa de seu magnífico Reitor Dr. Cleinaldo de Almeida Costa) e do Governo do Estado do Amazonas.” – destacou o director dos planetários de Manaus e Parintins.

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) tem apenas 16 anos de existência.  A partir de 2013, foi criado o NEPA – Núcleo de Ensino e Pesquisa em Astronomia. Com o tempo, o NEPA foi ganhando notoriedade, respeito e credibilidade dentro da Astronomia profissional.  Afinal, trata-se de um órgão da UEA – que tem vida própria, neste sentido, ele é independente – cuja especialidade é Astronomia. Coordenado pelo Dr. Nélio Sasaki, o NEPA tem projectos que envolvem alunos dos mais diversos cursos ofertados pela UEA. Os projectos abrangem  a Pesquisa, o Ensino e a Extensão Universitária. Os Planetários de Manaus e Parintins fazem parte de uma das ferramentas do NEPA. Após dois anos  de surgimento, os Planetários de Manaus e Parintins possuem projectos internacionais aprovados, são devidamente credenciados à ABP  e agora estão a fazer parte da APAS. Isso sem falar que o director dos planetários de Manaus e Parintins é o Coordenador do PLOAD Brasil no âmbito dos planetários (que está atrelado à União Astronómica Internacional).

As acções do NEPA  são de cunho Educacional, Social e Cultural. Onde são promovidos o letramento científico e incentivado o diálogo entre os diferentes povos indígenas. “Por estarmos na Amazônia Internacional é fundamental dialogarmos com os países vizinhos e a APAS trabalha justamente com essa finalidade. Por outro lado, trata-se de uma oportunidade ímpar, na qual o Amazonas poderá  trabalhar em parceria com Astrónomos, Planetaristas e outros profissionais  da América do Sul. Com o ingresso na APAS, certamente a Astronomia amazonense tem grande potencial para  se desenvolver ainda mais.” – sublinhou Dr. Nélio Sasaki.

Ao longo do evento da APAS foram realizadas mesas redondas que trabalharam as temáticas, respectivamente: Os planetários na Educação não formal; A gestão  e o financiamento  de recursos  (para Astronomia) das entidades da América do Sul. Apresentações orais, oficinas (Ensino da Astronomia com kits didáticos; Canções para planetários) e palestras especiais (Ensino da Astronomia  na contrução  de visões de mundo; Astronomia, Cultura e Planetários) compuseram este evento que foi finalizado com visita aos planetários de Brasília e Anápolis. De todas as actividades mencionadas, o NEPA se fez presente nas apresentações orais. Em uma delas,  o director dos planetários de Manaus e Parintins expôs os trabalhos desenvolvidos pelos planetários NEPA, no Amazonas. O NEPA também mencionou a parceria com o SESC-AM (SESC Parintins e SESC Manaus) e a participação do planetário de Parintins na “26ª Ação Global” – evento promovido pelo SESI, em parceria com a Rede Globo de Televisão.

Assim que a construção do espaço físico para o Planetário de Parintins (fixo) for liberada pela UEA, então, o Amazonas terá condições de receber um evento, do porte da APAS, aqui na região Norte do Brasil.

Dr. Nélio Sasaki – Doutor em Astrofísica, Coordenador do NEPA, Líder do NEPA/UEA/CNPq, Membro da IAU, Coordenador do PLOAD/Brasil, Membro do Conselho Diretivo do PLOAD, Membro da SAB, Membro da ABP, Membro da APAS,  Membro da SBPC, Membro da SBF, Revisor da Revista Electrónica IODA, Revisor ad hoc do PCE/FAPEAM, Revisor ad hoc da Revista Areté, Director do Planetários de Manaus e Parintins, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

você pode gostar também