-Publi-A-

PM se torna terceira instituição com maior número de doadores de sangue

Criado para incentivar a doação de sangue entre policiais, o projeto PM Sangue Bom conseguiu triplicar o número de doações realizadas à Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), no ano passado. Em 12 meses, foram coletadas 305 bolsas de sangue entre membros da corporação. Com isso, a Polícia Militar do Amazonas (PMAM) saltou da oitava para a terceira posição no ranking das instituições que mais colaboraram com o banco de sangue do estado.

As informações são do Hemoam. Com as bolsas coletadas, o banco de sangue abastece toda a rede de saúde amazonense, incluindo as unidades particulares. O material é usado para atender pacientes com doenças crônicas do sangue e que fazem procedimentos cirúrgicos de emergência.

Mesmo com o início da pandemia de Covid-19, em 2020, policiais militares amazonenses efetuaram 305 doações de sangue, um crescimento de 260% na comparação com o ano anterior, quando aconteceram 84 doações.

Novos doadores

Para alcançar esses resultados, o PM Sangue Bom ampliou a divulgação para atrair novos interessados. Houve um aumento na base de doadores permanentes, que saltou de cerca de 300 para 400 policiais militares. Neste ano, policiais militares já fizeram 53 doações.

No mês de janeiro, período em que houve a crise de oxigênio em todo o estado, o número de policiais doadores voltou a aumentar, de acordo com o subdiretor do Departamento de Promoção Social (DPS) da PM, major Alexandre Ribeiro. Ele explica que os policiais podem fazer até quatro doações por ano.

Uma doação de 450ml de sangue é capaz de salvar a vida de até quatro pessoas. Por volta de um dia, o organismo já repõe a quantidade que foi retirada do corpo. Ribeiro lembra que essas doações já foram primordiais para ajudar uma criança, filha de um policial militar.

“Existe um caso comovente da filha de um policial que estava com leucemia. Houve um número de voluntários muito grande. Com a união de todos os policiais, conseguimos levar o dobro do volume de bolsas de sangue necessário para salvar a vida da criança”, salientou.

Cuidado com o próximo

Doadora regular, a tenente Adriane Oliveira, da Diretoria de Promoção Social da PM, considera a doação uma demonstração de cuidado com o próximo. “Ser doadora é algo que nos traz muito orgulho enquanto policial, mulher e mãe. Temos muitas crianças que necessitam desse sangue. Enquanto eu puder doar sangue, eu serei doadora”, disse.

Conforme a subgerente de coleta externa do Hemoam, Suzete Camurça, a Polícia Militar ganhou destaque e saltou cinco posições entre os órgãos com maior número de servidores que aderiram aos apelos do banco de sangue do Amazonas. Grande parte disso se deve às campanhas externas, com o “Vampirão”, ônibus utilizado pela Fundação Hemoam para coleta itinerante de sangue.

Em julho deste ano, a campanha aconteceu entre servidores da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) e Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra). Só nesta ação, foram coletadas 37 bolsas de sangue.

(Fotos: Divulgação/PMAM)

você pode gostar também