Polícia encontra celulares em cela de ex-prefeitos Adail, Xinaik e Mariolino

Xinaik e Adail prestaram depoimentos no 10º Distrito Integrado de Polícia Foto: Jair Araújo

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) informou que vai apurar o delito de favorecimento prisional para saber quem introduziu três aparelhos celulares e dois carregadores na cela onde estão presos os presos os ex-prefeitos de Coari, Adail Pinheiro, de Iranduba, Xinaik Medeiro e de Santa Isabel do Rio Negro, Mariolino Siqueira que estão presos no Comando de Policiamento Especializado (CPE/PM) por envolvimento em um esquema de corrupção.

Durante os depoimentos no 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Adail Pinheiro e Xinaik Medeiros negaram a posse dos objetos.

De acordo com o delegado plantonista do 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Samir Freire, o terceiro suspeito, ex-prefeito de Santa Isabel do Rio Negro, Mariolino Siqueira, ainda será ouvido. O delegado informou que Mariolino está bastante debilitado por problemas de saúde, por isso deverá ser ouvindo em outro momento.

Após uma revista surpresa, feita pelo Comando de Policiamento Especializado (CPE), às 6h30 desta quinta-feira (30), na cela onde estão presos os ex-prefeitos, foram encontrados três aparelhos celulares, dois carregadores e uma quantia de R$ 100.

O delegado disse, ainda, que durante os depoimentos os dois suspeitos negaram a posse dos objetos, com isso, ele explicou que os celulares serão encaminhados para o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC-AM) para descobrir quem deve ser os donos do material apreendido.

Samir Freire informou que os donos dos celulares poderão responder por medidas administrativas prevista na Lei de Execução Penal. E sobre o delito de favorecimento prisional, o delegado explicou que, os responsáveis responderão por crime previsto no art. 349-A do código penal.

“Quem usa celular dentro de uma cela não pode responder criminalmente, o crime é para quem introduz o objeto dentro da cela”, disse o delegado.

No Boletim de Ocorrência que, a reportagem teve acesso, consta que, um celular de modelo Samsung estavam na pose do ex-prefeito de Iranduba, Xinaik Medeiros, e o outro celular de modelo Samsung e o IPhone, estavam na pose do ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, além da quantia de R$ 100.

O advogado de Adail Pinheiro, Francisco Balieiro, informou que, os dois ex-prefeitos foram prestar depoimento para saber de quem seria os objetos apreendidos. Ele informou que, seu cliente negou ser dono dos objetos. Segundo ele, mesmo que os celulares fossem dos ex-prefeitos não seria crime, pois  quem poderá responder por algum delito, segundo o advogado, é quem introduziu o celular na cela.

“O Adail disse que o celular não é dele, e eu não posso falar pelos os outros. O que eu sei é que, foi feito uma revista na cela, onde fica o Adail, o Xinaik e o Mariolino, e lá encontraram esses objetos”, disse o advogado.

Em coletiva, o delegado titular do 10º DIP, Paulo Benelli, informou que os ex-prefeitos devem responder por falta grave, previsto na lei de execução penal, que trata de porte de aparelho telefônico dentro do estabelecimento prisional. “A falta grave pode alterar o regime prisional que eles respondem no momento, pode ser uma advertência até uma reclusão ou regressão de regime, dependendo do juiz da Vara de Execuções Penais”, afirmou, explicando que a pena não pode ser ampliada.

*Texto: Henderson Martins e Patrick Marques

você pode gostar também