Polícia faz operação para prender suspeitos de estupro coletivo no Rio

Policiais civis de várias delegacias do Rio realizam nesta segunda-feira (30) uma operação para prender suspeitos de participar do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos.

A Justiça expediu vários mandados de prisão e de busca e apreensão. Os agentes estão em endereços na Praça Seca e na Taquara, em Jacarepaguá, no Recreio dos Bandeirantes, na favela do Rola, em Santa Cruz, e na favela de Cidade de Deus.

Nesses locais estariam pessoas que participaram do estupro ou realizaram o vídeo com a jovem e o postaram em uma rede social.

Desde domingo (29), o Chefe de Polícia Civil, o delegado Fernando Veloso passou a coordenação da operação para a delegada Cristiana Bento, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV).

Após protesto da advogada Eloisa Samy, que defendia a adolescente, e do Ministério Público, a Polícia Civil decidiu afastar o delegado Alessandro Thiers da investigação do estupro da adolescente.

A Polícia Civil promete para esta tarde divulgar o laudo preliminar de médicos do IML (Instituto Médico Legal) feito na adolescente.

O CASO

A adolescente foi estuprada na madrugada do dia 21 no complexo de favelas São José Operário, zona oeste do Rio. O caso só se tornou público após jovens postarem fotos e vídeos da menor nua e desacordada.

Segundo depoimento da vítima, ela encontrou num baile funk na comunidade um rapaz de 19 anos com quem estava “ficando”.

A jovem disse que foi parar numa casa com o rapaz e, a partir daí, só se lembra de ter acordado pela manhã em outra casa. De acordo com a menor, ela estava dopada, nua e sendo observada por 33 homens.

ban

Da Folha UOL

você pode gostar também