Por retaliação de internos, agente penitenciário é morto no Compaj

Doze internos são suspeitos de terem participado da morte do agente penitenciário, Alexandro Rodrigues Galvão, 37 anos, no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), na tarde deste sábado, 1° de dezembro. Durante o horário de visita no pavilhão 3, o carcereiro foi rendido por um interno e recebeu uma estocada no pescoço, com uma barra de ferro pontiaguda.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que os suspeitos de participação no crime foram encaminhados ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para apuração dos fatos. O agente penitenciário ainda chegou a ser encaminhado ao Hospital da Zona Norte, mas não resistiu aos ferimentos. Alexandro Galvão pertencia ao quadro funcional da empresa Umanizzare e entrou para o sistema penitenciário há três anos.

Conforme apurado pelas imagens do circuito integrado da unidade prisional, um interno rendeu o agente antes de fechar o portão de acesso à área de convivência. O crime teria sido praticado em retaliação aos procedimentos de revistas dos visitantes, uma vez que, nas últimas semanas, diversos materiais ilícitos foram apreendidos no Compaj. Por medida de segurança, a Seap reforçou a monitoria dentro do presídio e também suspendeu a visitação aos presos, no domingo, 02/12.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here