-Publi-A-

Porto Fechado prejuízo turístico de milhares de reais a Parintins

Arquivo Amazonas Turismo

O Porto de Parintins fechado é uma tragédia econômica para centenas de pessoas que sobrevivem diariamente da rotação de embarque e desembarque. Autônomos, taxistas, mototaxistas, carregadores, estivadores, portuários e tricicleiros são os mais impactados a princípio. O setor turístico é outro alvo e mais dinheiro deixa de circular na cidade.

Um grupo de artesãos envolvendo entalhadores, escultores, desenhistas e pintores manteve contato com o site ParintinsAmazonas e apelou as autoridades a abertura do espaço. A celeuma do fecha e abre o Cais do Porto é uma novela sem fim e já dura quase 10 anos.

A temporada de cruzeiros turísticos 2016/2017 está a todo vapor, mas o dinheiro não chega à Ilha. Motivo o Porto fechado.

O navio americano M/S Queen Victoria que atracou no Porto de Manaus dia 25 de Janeiro, deveria ter parado na Ilha Tupinambarana. Não parou. Apenas passou bem devagarzinho. Restou apenas a lembrança guardada nos cliques dos celulares ou lentes dos fotógrafos do pomposo navio no meio do Rio Amazonas.

O transatlântico Queen Victoria  é o maior a percorrer o rio Amazonas com 2.681 turistas e fora a tripulação. Calcula-se que o Parintins perdeu em torno de R$ 150 mil reais. Isso mesmo. Agora pense numa época de crise e falta de emprego dispensar esse dinheiro. O valor seria deixado nas poucas horas de atracação quando os turistas percorrem as ruas da Ilha.  Os tricicleiros que ajudam no transporte ganhariam quase R$ 5 mil reais. Cada artesão vende em média 100 a 150 dólares. Dependendo da apresentação dos produtos. As agências de viagens investem e arrecadam perto de R$ 50 mil reais para distribuir entre shows turísticos, locais de visitação e passeio, ônibus, taxistas e guias turísticos.

No próximo dia 8 de fevereiro terá a passagem de dois navios turísticos: Oreana do Panamar e o Brar Mar de bandeira da Barramas. O primeiro vem com 1928 turistas e mais 700 tripulantes; o segundo tem abordo 987 turistas e mais 400 tripulantes. São mais de 3 mil pessoas. Que podem despejar até R$ 250 mil reais na economia local, nas poucas horas, que por ventura forem atracar no cais.

A reportagem foi até a agência de viagens confirmar a informação do grupo de artesãos. Mesmo sem gravar entrevistas dois representantes de agências de viagens confirmaram a chegada do Oriane e Brar Mar. Dizem que o porto fechado, eles farão outro sistema para que os turistas possam descer até a Ilha. Mas são cientes. Porto fechado à maioria não vai descer. Turista não sair de casa e conforto do lar para passar mal.

A novela do Porto tem enredo conhecido na Ilha. É engenheiro e mais engenheiro, dinheiro e mais dinheiro e mesmo assim velhos problemas previsíveis inclusive aparecem de novo. E mais dinheiro é investido. Agora uma bomba d’água seria o empecilho para não abertura.  Parece que a população não merece tal respeito.

O prefeito Bi Garcia (PSDB) não atendeu a reportagem para tratar sobre o tema. O secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos, ao retornar as mensagens do  Mateus Assayag disse ao site ParintinsAmazonas que a administração Bi Garcia e Tony Medeiros (PSL) estão tratando diariamente sobre esse o tema do porto e também do aeroporto. Segundo Assayag nesta terça-feira 31, haverá uma vistoria no Porto e o problema em breve pode ser resolvido.

Enquanto a solução não vem os milhares de parintinenses penam na estrutura do infortúnio cais do porto improvisado aberto “temporariamente”.

Do ParintinsAmazonas

você pode gostar também