Prefeitura de Parintins e Mb Consultoria perfuram poços artesianos nas comunidades da zona rural de Parintins

Gilson Almeida | 24 Horas 

[email protected]

Parintins (AM) – A Prefeitura de Parintins juntamente com a empresa MB Consultoria e Projetos Ambientais construiu poços artesianos em 21 comunidades da zona rural para serem beneficiadas com programa ‘Água no Jirau’ com o apoio do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). Além disso a Prefeitura e a MB Consultoria e Projetos Ambientais perfurou um poço artesiano no Ramal do Kidoco, situado na comunidade do Parananema, área suburbana do munícipio, para fornecer água de qualidade aos moradores.

De acordo com o prefeito de Parintins, Bi Garcia, os poços artesianos são para levar qualidade de vida para as pessoas residentes nas comunidades da zona rural que antes tinham que buscar água para o consumo em um balde na beira rio, o que na vazante ficava mais dificultoso por conta da seca. “Esse programa é justamente para levar respeito e dignidade ao povo da zona rural a partir do momento que nós construímos esses poços artesianos. Agora estamos fazendo a construção dos castelos de concreto com reservatórios de 5, 10 e até 20 mil litros, que é o caso do Bom Socorro do Zé Açu e de outras comunidades. Nós temos aí a qualidade de vida quando eles recebem água encanada no jirau de sua casa. Isso permite que eles possam melhorar os investimentos na residência como construção de sanitários colados na casa para saírem daquilo que a gente chama de fossa negra. Então é um avanço muito grande que o nosso governo implementa na zona rural de Parintins com o objetivo bem claro de cuidar bem das pessoas e de melhorar a qualidade de vida do povo”, disse Bi Garcia.

Os locais que foram beneficiados com os poços artesianos feitos pela Prefeitura e pela empresa MB Consultoria e Projetos Ambientais são: comunidade Santa Luzia (região de Vila Amazônia); comunidade Núcleo Murituba (região de Vila Amazônia); comunidade São Tomé (Caburi); comunidade Núcleo da Ribeira (Caburi); comunidade São Francisco do Palhal; comunidade Núcleo Silva (Caburi); comunidade Açaizal (Caburi); comunidade Esperança (Mocambo); comunidade Divino Espírito Santo (Caburi); Núcleo dos Cunhas (Caburi); Núcleo Norberto (Caburi); São Joaquim (Caburi); Dom Pedro I (Caburi); comunidade Vista Alegre; comunidade Marajá; comunidade Aparecida (Panauaru); Nova Esperança (Zé Açu); Vila Igarapé Açu; Vila Santo Expedito; Vila Canarinho e a comunidade do Zé Miri, Gleba de Vila Amazônia, onde recebeu o entroncamento do T. Há ainda outras comunidades da zona rural no cronograma da Prefeitura para serem contempladas com o programa ‘Água no Jirau’.

 

 

você pode gostar também