Priscilla Mollinary será a primeira mulher trans a participar do concurso Garota Expopin

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

A Priscilla Mollinary Soares da Silva, de 24 anos, será a primeira mulher trans (transexual) a participar do concurso Garota Expopin, realizado pela Associação dos Pecuaristas de Parintins (APP). As inscrições para o concurso iniciaram dia 08 e ela fez o dela nesta segunda-feira (15), já no último prazo.

A candidata tentou fazer sua inscrição no primeiro dia das inscrições, mas a coordenação do evento não efetuou e analisou o pedido. O caso ganhou repercussão. Diante disso, Mollinary acionou a Associação de Gays, Lésbicas e Transexuais de Parintins (ALGTPIN) para lhe dar assistência jurídica.

A parintinense teve o direito garantido de participar do certame ontem (14) pela justiça em uma ação movida pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM). Em decisão liminar, a juíza plantonista Larissa Padilha Roriz Penna, da Comarca de Parintins, determinou que a associação organizadora efetuasse a inscrição da candidata no prazo máximo de 48 horas, sob pena de multa diária de R$ 500,00 (quinhentos reais), com condições iguais a de outras candidatas.

“Estou muito feliz por vencer essa causa. Não estava brigando com ninguém, apenas estava atrás do meu direito. Então eu abri vários olhos que estavam contra mim. Quero também que outras mulheres trans tenha essa coragem de enfrentar outros concursos também. É uma honra muito grande de ser a primeira mulher trans a participar de um concurso em que terá a presença de outras mulheres. Vai ser emocionante eu dividir o palco com elas”, disse Mollinary.

Priscilla Mollinary Soares da Silva teve o nome social colocado em seus documentos em 2019. Mollinary já foi integrante do Corpo de Dança Caprichoso (CDC) e atualmente trabalha nos eventos do bumbá. Ainda mais, ela é rainha irreverente do bloco carnavalesco Invasão na Folia e foi rainha irreverente do Carnailha nos anos 2017, 2018 e 2020.

você pode gostar também