Procon-AM notifica mais onze lojas de materiais de construção em Manaus

Órgão pediu informações sobre valores do cimento e do tijolo, produtos com alto índice de reclamação por parte dos consumidores nas últimas semanas

Foto: Mauro Smith/ ALE-AM

Manaus (AM) – O Instituto Estadual de Defesa do Consumidor (Procon-AM) segue com as notificações a lojas de materiais de construção em Manaus. Nesta quarta-feira (15/07), mais onze estabelecimentos foram visitados pelo órgão, que pediu informações sobre os valores do cimento e do tijolo desde março deste ano.

As lojas visitadas pelo órgão ficam nos bairros Coroado, Zumbi, São José e Compensa, nas zonas leste e oeste de Manaus. A ação teve participação da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/ALE-AM). Na terça-feira (14/07), outros quatro estabelecimentos já haviam sido notificados.

Nas últimas semanas, o Procon-AM recebeu diversas denúncias sobre o aumento dos preços desses produtos. Os comércios notificados têm 48 horas para apresentar os comprovantes dos preços. Caso haja comprovação da abusividade, as lojas poderão ser multadas, com valores proporcionais a cada estabelecimento. As fiscalizações devem seguir nos próximos dias, segundo o diretor-presidente do Procon-AM, Jalil Fraxe.

“Já notificamos 15 empresas e não estamos medindo esforços para esclarecer o que tem ocorrido no mercado da construção civil, que movimenta muito dinheiro e gera muitos empregos. Os altos preços dos materiais de construção prejudicam o consumidor que está fazendo reforma. Não podemos permitir que os fornecedores tirem vantagem em cima dos consumidores. Qualquer prática abusiva será devidamente punida. As fiscalizações irão continuar ao longo da semana e se estenderão às olarias também”, afirma.

Contatos – O Procon-AM já retomou os atendimentos presenciais, que ocorrem apenas mediante agendamento pelo (92) 3215-4009. Os consumidores podem abrir reclamação também pelos números 0800 092 1512, (92) 3215-4012, 3215-4015 e pelos e-mails [email protected] e [email protected]gov.br.

você pode gostar também