Profissionais de saúde do estado recebem capacitação para uso do Capacete Elmo em pacientes acometidos pela Covid-19

Servidores da área da saúde de dez unidades hospitalares do Governo do Estado estão sendo capacitados, em grupos, desde a segunda-feira (1º/02) para o manuseio do Capacete Elmo, que é um equipamento de respiração assistida. O treinamento encerrará na sexta-feira (05/02), tornando os servidores aptos para utilização do aparelho em pacientes com quadro leve e moderado da Covid-19. Ao todo, 65 unidades do Elmo foram doadas pelo Governo do Ceará ao Amazonas.

A capacitação ocorre por meio de parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e a Escola de Saúde Pública do Governo do Ceará. O treinamento está sendo ministrado por três especialistas daquele estado no auditório do Instituto da Mulher Dona Lindu, situado no bairro Adrianópolis. Os agentes participantes foram divididos em grupos de seis a oito pessoas por unidade de lotação. As aulas são ministradas para turmas no período matutino e vespertino, com embasamento teórico e prático.

O diretor administrativo do Instituto da Mulher, Gilberson Barbosa, destaca que entre os profissionais que estão sendo capacitados há médicos, enfermeiros e fisioterapeutas. Segundo ele, essa tecnologia será importante para melhorar a assistência.

“Através da Escola de Saúde Pública do Ceará, nós, da Secretaria de Saúde do Amazonas, estamos capacitando 10 unidades de saúde no treinamento de capacetes Elmo, o que é fundamental para a melhora da assistência, no restabelecimento da saúde desses pacientes”, destacou.

A enfermeira Rebeca Bandeira, formadora da Escola de Saúde Pública do Ceará, fala sobre os benefícios do aparelho. “O Capacete Elmo é uma tecnologia em que nós ofertamos um alto fluxo para o paciente, então a gente oferta esse tratamento, essa terapia, para pacientes de leve a moderada complicação, desconforto respiratório”.

Segundo ela, o equipamento oferece um alto fluxo ao paciente em tratamento da Covid-19, evitando a necessidade de ser intubado. “Com esses pacientes a gente consegue reverter esse quadro de desconforto respiratório e consegue também evitar, prevenir que esse paciente vá posteriormente ser intubado, porque a gente consegue reverter o quadro dele em 60% dos casos”, explicou a formadora.

Suporte – Para a enfermeira Elaine Sampaio, participante do treinamento, o momento é importante para garantir a execução correta do manuseio pelos profissionais e irá acrescentar no atendimento prestado pelos servidores. “Vai acrescentar na questão de oxigênio terapia, porque a gente sabe que a Covid agride demais o pulmão e é preciso uma estratégia firme, os estudos mostram isso, com uma eficácia, com muito oxigênio, evitando a intubação. Com certeza vai ajudar 100%”, concluiu.

Unidades – Passarão pelo treinamento ao longo desta semana profissionais do Hospital e Pronto-socorro (HPS) 28 de Agosto; HPS Delphina Aziz; HPS João Lúcio; HPS Platão Araújo; Hospital Nilton Lins; Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV); Instituto da Mulher Dona Lindu; Maternidade Ana Braga; Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD); e Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon).

você pode gostar também