Projeto para cultura do guaraná pretende aumentar produção e produtividade em seis municípios do interior

Nativo da Amazônia, o guaraná é utilizado principalmente em indústrias de refrigerantes, extratos e farmacêuticas.

Com objetivo de implantar novas áreas e revitalizar cultivos de guaraná no Amazonas, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) tem intensificado a assistência técnica para famílias rurais de seis municípios do Estado.

A iniciativa faz parte das ações dos 21 Projetos Prioritários do Idam que irão beneficiar mais de 30 mil agricultores e produtores até 2022, e a cultura do guaraná está entre as 21 cadeias produtivas contempladas no projeto.

Nativo da Amazônia, o guaraná é utilizado principalmente em indústrias de refrigerantes, extratos e farmacêuticas.

A produção apesar de tímida já registrou um crescimento de 5,8% na produção do guaraná em 2018 onde foram contabilizadas 1.024 toneladas se comparada a 2017 que foi de 968 toneladas conforme levantamento do Idam.

De acordo com o diretor técnico do Idam, José Milton Barbosa, a expectativa para a safra de 2019 é que haja aumento na produção devido a utilização de plantas melhoradas, a exemplo de clones de guaranazeiro incentivados pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que estão em fase de produção e apresentam melhor produtividade.

Entre os municípios contemplados no Projeto Prioritário para a cultura do guaraná estão Maués, Urucará, São Sebastião do Uatumã, Boa Vista do Ramos, Coari e Apuí.

Segundo o coordenador estadual do projeto para cultura do guaraná e engenheiro agrônomo do Idam, Orleidson Sales, o guaraná é uma cultura que exige tratos culturais o ano inteiro e a ideia é intensificar a assistência técnica para o segmento. “Os principais objetivos do projeto estão concentrados na recuperação e manutenção dos guaranazais e implantação de novas áreas produtivas. O incentivo ao uso de novas tecnologias e novas variedades de clones é necessário para que consigamos o aumento na produção e produtividade, além de gerar renda para quem trabalha com a atividade”, destacou.

Produção

O município de Maués conhecido como a Terra do Guaraná possui aproximadamente 200 comunidades em área branca e 80 comunidades na reserva indígena Sateré-Mawé, das quais o cultivo de guaraná está concentrado em comunidades da calha dos Rios Paracuni, Alto Apocuitauá, Maués Açu e adjacências.

De acordo com o gerente da unidade local do Idam, Eugênio Borges, o município deve fechar 2019 com uma produção de aproximadamente 380 toneladas de guaraná. “Em 2019, os produtores receberam incentivos na distribuição de 41 mil mudas de guaraná oriundas de convênio entre a Prefeitura e a Secretaria de Produção Rural (Sepror) com apoio do Idam”, destacou.

Ainda segundo Eugênio, neste ano o Idam atendeu cerca de 650 famílias que trabalham com a produção do guaraná. Atualmente, o preço do fruto gira em torno de R$ 22,00 o quilo e no município existem cinco associações assistidas pelo Idam que comercializam a produção diretamente para Ambev.

No município de Urucará, a equipe técnica do Idam já iniciou a seleção das famílias que serão contempladas com as ações do projeto e realizou visitas técnicas à comunidade Boa Esperança para levantamento de informações da Unidade de Observação (UO) de progênies de guaraná e casa de torrefação, além da visita à fazenda Piloto da Agrofrut na Colônia São João para verificar a Unidade Demonstrativa (UD) de Guaraná na localidade.

Com informações do g1

você pode gostar também