-Publi-A-

Quase demitido, por causa dos bois, ministro da Cultura assistirá Festival de Parintins

Ministro da Cultura Marcelo Calero.

O novo ministro da Cultura, Marcelo Calero ( foto), não tinha ideia da dimensão do Festival Folclórico de Parintins. Tanto é que a gravação de um vídeo sobre o Festival, quase lhe custou o cargo. Agora, o ministro confirma que estará em Parintins para assistir a festa dos bumbás Garantido e Caprichoso, informou fonte do blog deAMAZÔNIA.

Calero gravou o vídeo, a pedido do deputado federal, Marcos Rotta (PMDB), dando a entender que ele (Rotta) havia conseguido o aporte financeiro para o festival. O ato falho de Calero, quase lhe custou à demissão. Na linguagem bovina os parintinenses diriam que Rota tentou fazer uma “fiscela” (artimanha) sobre o caso, para ser o “pai da criança”. E ao mesmo tempo deu um “diguilêfe” (desdobro) no ministro.

Desde que o governador José Melo (PROS) anunciou, no dia 20 de maio, corte de recursos para o festival de Parintins, que o senador Omar Aziz (PSD) entrou em cena nos bastidores, para num ato emergencial, assegurar a realização do evento.

O Festival de Parintins, realizado no último fim de semana de junho, é o maior evento folclórico do país. No trade turístico do Ministério do Turismo a festa dos bois aparece como rota nacional e internacional de turistas. O Festival, junto com a pecuária, são as maiores fontes de economia do município.

Nesse mesmo dia, Omar telefonou para o presidente interino Michel Temer  (PMDB) e depois falou com ele pessoalmente, em Brasília, sobre Parintins. O deputado Bi Garcia e os presidentes dos bumbás, Adelson Albuquerque ( Garantido) e Joilto Azedo ( Caprichoso) estiveram com senador, em Manaus, relatando as dificuldades dos bois de realizarem o espetáculo.

Diante do mal estar que o vídeo causou o ministro da Cultura, Marcelo Calero, teve que se desculpar com o próprio presidente Temer. Calero é ex-secretário municipal de Cultura do Rio.

O prefeito de Parintins, Alexandre da Carbrás, também esteve por duas vezes em Brasília conversando com parlamentares e visitando ministérios.

“Mas do que nunca o ministro quer vir a Parintins para entender a magnitude da festa que quase lhe custou à demissão do cargo”, disse uma fonte do blog.

Fonte: Blog de Amazônia

você pode gostar também