“Quem pariu Mateus [o Festival de Parintins] que o embale”!

Por Nárnia!

Grandes são os rebuceteios tribais no mundo bovino, porém, cão dividido entre azul e vermelho onde os “vigários”cantaram e os bois Caprichoso e Garantido caíram que nem dois patinhos: fácil… Fácil! O governador José Melo entra, duplamente, para a história do Amazonas como o primeiro governador cassado e o primeiro a não realizar, enquanto patrocinador, o maior produto turístico-artístico-cultural do Norte: o Festival Folclórico de Parintins sob a plácida inocência do Onipotente, Onisciente e Onipresente [e eterno] secretário de cultura Robério Braga. Nessa brincadeira de boi, a dança foi bem mais do que dois pra lá e dois pra cá. Em nome da dipirona e do esparadrapo a cultura folclórica e popular do nosso Estado foi cremada e suas cinzas atiradas aos porcos que de lama entendem aos montes. E agora, José? Agora, é embalar o curumim órfão de pai e mãe: vai ter festival, SIM! De qual proporção o cretino colunista, literalmente, de segunda não sabe responder ao certo. Mas, sabe que orgia maior [com dinheiro público] se faz na Recife.ouvido

PARIU…

O silêncio presidencial oriundo da Baixa e da Francesa não adiantou em nada: o governador José Melo não recuou de sua decisão de não investir recursos do Estado na realização dos festivais folclóricos e culturais, priorizando-os para as áreas da saúde e da educação. A decisão, foi ratificada na última reunião na sede do governo, na Compensa, com a presença de Adelson Albuquerque e Joilto Azêdo, presidente do Boi Garantido e do Boi Caprichoso, respectivamente e, ainda, dos deputados estaduais Bi Garcia, Sabá Reis e Cabo Maciel e do secretário de cultura, Robério Braga, ou segundo Fréd Góes: o “Ditador Cultural”. “”

… PARTIU

Na reunião, foi apresentada a planilha de custo do Festival de Parintins referente ao ano de 2015 com valores, áreas e órgãos de sua destinação. O Governo do Estado alega que não possui recursos para investir nos festivais folclóricos de maiores relevâncias: o FECANI, o Festival do Amazonas, o Festival de Cirandas e o Festival de Parintins. A prioridade, segundo o governador, é cortar gastos e economizar cerca de R$ 500 milhões para a manutenção de áreas essenciais para a população: saúde e educação. Não haverá, por parte do governo, aporte financeiro para as apresentações e, tampouco, para a operacionalização, apenas ajuda em segurança e saúde que compete ao Estado.

NO EMBALO…

A batata quente desta situação catastrófica foi repassada para as mãos do senador Omar Aziz, por sugestão do próprio governador José Melo, tornando-se a última esperança dos bois para amenizar o prejuízo da saída do Governo do Estado como patrocinador do festival. A constatação de sua decisão causou um desgaste, ainda maior, do governador com os parintineses e com os torcedores azuis e vermelhos e muito pior com Robério Braga, o eterno secretário de cultura do Estado. Há uma possibilidade [remota] de que o Ministério das Relações Exteriores, dirigido por José Serra [logo com o Serra?] viabilize R$ 15 milhões para salvar o Festival de Parintins.

…EMBALADOS

Com todo esse desgaste entre o Governo do Estado e Parintins, os líderes bovinos e os deputados com expressivos votos recebidos pelo parintinense, a citar entre eles Bi Garcia e Sabá Reis, saíram da reunião com o governador José Melo totalmente desacreditados pela máxima ausência de poder de barganha para com o mandatário da Compensa que obteve o apoio, estrutura e empenho dos envolvidos em sua reeleição. Pode-se dizer que os mesmo foram embalados à vácuo e suas pretensões políticas dinamitadas pela trágica decisão de seu aliado, ou seja, irão morrer politicamente abraçados ao governador que os atirou aos tubarões.

PREJUÍZO

O líder parintinense mais prejudicado com a decisão do governador, sem dúvida nenhuma, é o deputado estadual Bi Garcia que almeja disputar [virtualmente, segundo a mais recente lista do TCE divulgada na última sexta-feira] à prefeitura de Parintins em outubro próximo. Em 2015, foi nomeado pelo próprio Melo como o responsável pela captação de recursos junto à iniciativa privada para compensar a redução de 20% na cota de patrocínio, mantendo este ano a mesma função e tarefa com a ajuda do secretário de Fazenda, Afonso Lobo. O parlamentar fracassou duplamente [em 2016]: não conseguiu recurso algum entre o empresariado da capital e, tampouco, conseguiu reverter à situação com seu aliado ao menos que fosse para assegurar a operacionalização do festival. Por tabela, o parlamentar depara-se com o tamanho político e a importância imposta a ele pelo governador dentro da base aliada: minúsculo e mínima, respectivamente.

HÃ?

A planilha apresentada por Robério Braga contradiz a sua própria pasta [a SEC], uma vez que foi amplamente divulgado que o investimento do Governo do Estado no festival de 2015 foi da ordem de R$ 9.713.158,24, inclusos neste montante os gastos com a operacionalização, ou seja, segurança, saúde, logística e etc., conforme se observa no link: http://www.amazonianarede.com.br/tudo-pronto-em-parintins-a-festa-vai-comecar-na-ilha/. Percebe-se que o a planilha do governo insere na conta do festival [nas costas dos bois] aquilo que é de sua competência e de seu investimento obrigatório tratando-se de um evento do porte e da visibilidade do Festival Folclórico de Parintins com direito a muitas regalias e benesses aos seus convidados que vão desde hospedagem em iates a serviço 24h.papo

PLANILHA…

A planilha apresentada na reunião, e divulgada pelo jornalista Marcos Santos, confunde muito mais do que explica, pelo contrário, traz a tona mais dúvidas ainda do que antes de sua publicação. A mesma traz números surreais e, no mínimo, questionáveis: R$ 2.040.000,00 para cada boi (OK); R$ 2.003.104,16 operacionalização & logística de jurados (?); R$ 133 mil para a hospedagem e alimentação dos jurados (?); R$ 1.890.048,00 para a iluminação (?); R$ 1.680.000,00 para a sonorização (?); R$ 500 mil para a festa dos visitantes (?); R$ 2.300.000,00 para a Amazonastur (?).

PLANILHA

O valor repassado para a operacionalização e a logística da comissão julgadora é quase o valor repassado para o Boi de Arena. E o que seria esse termo “operacionalização & logística”? O que está inserido nele? Passagens, cachês e translado? Uma vez que, hospedagem e alimentação foram postas separadamente. O cretino colunista, literalmente, de segunda, e curioso por natureza e excelência, foi vasculhar a rede atrás de respostas para ver se encontrava alguma que justificasse tais valores, entrando no portal da transparência do Governo do Estado (http://www.transparencia.am.gov.br/licitacoes/).

VALORES

O cretino colunista atreve-se desmembrar este termo tão caro na planilha da SEC: entenda-se operacionalização como sendo o deslocamento [passagens áreas] da comissão captadora [fiscais dos bois] em busca dos dos jurados em seus estados de origem, hospedagem, alimentação e translado; e logística: deslocamento, translado e premiação da comissão julgadora, que cada jurado ganhar em forma de cachê. Com esse valor apresentado daria para levar os 15 membros da comissão julgadora para Nova York, Paris ou Dubai, hospedá-los em um hotel cinco estrelas, recebendo cada um o cachê de R$ 50 mil que mesmo assim ainda sobraria dinheiro suficiente para chupar três trilhões de flal do Ki Delícia ou tomar uma cuia [do tamanho do Bumbódromo] de tacacá na banca da D. Maria.

VALORES II

Ainda nesse sentido, o cretino colunista encontrou o PE 619/15 – Serv Hosped. e Alimentação-F. Folclórico com 13 itens referentes a prestação de serviços para atender ao 50º Festival Folclórico de Parintins com apenas 01 (um) proponente, a Uatumã e Empreendimentos Turísticos Ltda. vencedor do pregão (HistoricoLicitacaoLotePortal). Um lote chama atenção do cretino colunista: o de número 04 referente, justamente, para atender parte da Comissão Jurados (imagem abaixo), o valor unitário de cada pessoa/diária custou ao Governo do Estado R$ 8.470 somando R$ 42.350 no período licitado.

9

VALORES III

Cabem aqui alguns observações pertinentes ao lote [04]: 1. O objeto do lote licitado é o serviço de HOSPEDAGEM; 2. São 05 suítes para acomodar 15 pessoas; 3. O preço unitário do serviço é a quantidade de suítes; e 4. No valor unitário já está incluso o serviço de ALIMENTAÇÃO. Portanto, segundo o pregão eletrônico (EDITAL2015PE619 (1)) a hospedagem e alimentação dos jurados custou ao Governo do Estado R$ 42.350,00, longe dos R$ 133.351,40 constantes na planilha apresentada pelo secretario de cultura Robério Braga. Com esse valor [da diária] destinado aos jurados daria para hospedá-los no Fasano, nos Jardins, em São Paulo, por muito menos (R$ 3.127/diária) e no Copacabana Palace, em Copacabana, no Rio, por exatos R$ 5 mil/diária e comer os menus mais caros dos mais badalados e luxuosos restaurantes no maior centro gastronômico da América Latina. (http://luxo.ig.com.br/altagastronomia/2014-06-06/quanto-custa-comer-nos-restaurantes-mais-badalados-de-sao-paulo.html).

VALORES IV

Pesquisando sobre valores de iluminação e som de grandes eventos e de artistas nacionais o cretino colunista chegou em números bem mais inferiores do que mostra a planilha oficial do Governo do Estado (PROJETOBASICO2015PE619). Segundo um dos maiores sites artísticos do norte, o Evento Porto Velho (http://www.eventosportovelho.com/os-custos-de-um-show-de-grande-porte/) que já levou para a cidade artista como Wesley Safadão, Ivete Sangalo, Luan Santana e Anitta revela que o custo desses dois itens [juntos] podem chegar a R$ 30 mil/show. Vamos considerar o dobro, por se tratar da localização de Parintins, multiplicando pelos 03 (três) dias de festival (equivalente a 06 shows) dariam R$ 360 mil, digamos que os gastos com equipamentos e pessoal chegue a 100% deste valor [R$ 720 mil], adicione aí o x3 (de praxe, tratando-se de orçamento) chegando a R$ 2.160.000,00. Valor muitíssimo acima do praticado no mercado e, também, inferior aos R$ 3.570.000,00 milhões pagos em 2015.

VALORES V

A Festa dos Visitantes em 2015 foi com a cantora Anitta, que baixou seu cachê de R$ 100 mil para R$ 70 mil (http://www.purepeople.com.br/noticia/anitta-ivete-sangalo-e-mais-cantores-reduzem-cache-por-causa-da-crise-economica_a87860/1), e que custou a Prefeitura de Parintins, com repasse do Governo do Estado, R$ 500 mil. Sejamos bondosos e dobremos o cachê da artista por conta do lugar, sobram R$ 300 mil. Desse valor, como vimos anteriormente, digamos que R$ 50 mil foram para som e iluminação, mais R$ 100 mil para operacionalização/infraestrutura/pessoal. Sobrariam, exatos, R$ 150 mil: a soma é simples e os valores apresentam-se fora da realidade. Dos R$ 500 mil da Festa dos Visitantes, levados na ponta do lápis [observando os valores de mercado] custaria algo em torno de R$ 200 mil e não mais que R$ 250 mil.

VALORES VI

Dos R$ 2.315.362,50 apontados para a Amazonastur, Oreni Braga, presidente do órgão, esclareceu que R$ 2.100.000,00 são destinado para o canal de TV detentora do direito de transmissão do evento, ou seja, a TV A Crítica, pagamento inserido ao órgão nos últimos anos, mas, que antes cabia à SEC. Do restante, um pouco mais R$ 200 mil são destinados à divulgação dos atrativos turístico do Estado em duas frentes de ação: FAM TOUR (operadores de turismo) e PRESS TRIP (jornalistas nacionais e internacionais) somados a logística do órgão. Quando da reunião com os técnicos da SEC o valor de operação do órgão para este ano ficou em R$ 315.362,50 mil já com corte de gastos.

VALORES VII

Vale ressaltar ainda, que a Amazonastur é o segundo menor orçamento dentre os órgãos estaduais e tem como responsabilidade promover a cultura do Amazonas com limitações contando com a ajuda de parceiros federais como o Ministério do Turismo e a Embratur. Das duas, uma: ou Robério Braga é muito inteligente ou somos todos muito burros ao ponto de acreditar que a pasta sob sua responsabilidade [promotora do evento] gasta um pouco mais de R$ 200 mil na festa. Em outras palavras, a SEC, a prima rica, sai de “mocinha”; enquanto a prima pobre, a Amazonastur: de “vilã”! A Dra. Oreni é uma das poucas dentro do governo que defende os bois [o Festival de Parintins]. Ah, uma pessoa dessas como titular da SEC!seo

– Meu velho, na esculta!

Prossiga, curumim alesado!

– O que os senhor achou da planilha da SEC?

Alice, no País das Maravilhas!

– Um conto de fadas?

Não, de modo algum: um sonho mesmo!

– O que podemos fazer, agora sábio ancião infernal?

Chamar o garotinho?

– O Paulinho Faria?

Não, alesado: o Valdir Correa!

– Pra quê?

Para pôr aquela musiquinha: “Onde está o dinheiro? O gato comeu, o gato comeu. E ningué viu, o gato sumiu, o gato sumiu. O seu paradeiro está no estrangeiro onde está o dinheiro?”

Off Line.orelha

Meses atrás disse aqui mesmo neste espaço que o festival atravessava três crônicas crises: financeira, artística e ética. Sendo esta última a mais devastadora e desmoralizante tão bem exposta com a reunião da última terça-feira, 24, quando do suposto veto por parte dos presis bovinos à participação do prefeito de Parintins no encontro com o governador do Estado. É vergonhoso ver deputados, presidentes, prefeito, assessores desmentindo uns aos outros como se fossem mariquinhas e/ou lavadeiras à beira do jirau a lavar a roupa suja. Ou, ainda, pior: como se fossem curumim alegando: foste tu!; Não, foste tu!; Mentira tua, foi ele ou aquele!. Como alguém pode levá-los a sério com esse comportamento, no mínimo, infantil e imaturo?

E uma pergunta que aflige a alma do cretino colunista: o que os bois devem ao deputado Bi Garcia para que os presidentes tenham que pedir sua orientação e bênção a quem devem ou não conversar, dialogar, tratar, encontrar? É por essas e por outras que o festival está onde está: politicamente dinamitado, artisticamente dependente do velho sistema político do voto de cabresto, sustentavelmente inexistente por conta dos acordos e projetos pessoais de poder que transformaram o Zeca Xibelão e Lindolfo Monteverde em currais eleitorais sem nenhuma contrapartida que não o poder pelo poder e só o poder.rap

* As últimas notícias vinda dos galpões da Baixa e da Francesa não são das melhores. Segundo Asas Fortes e Brilhantes, no Boi Caprichoso foi repassada a readequação dos salários com a redução de 30% dos contratos já reduzidos no inicio da temporada. A decisão não agradou a maioria dos artistas levando uma parcelo dos trabalhadores a deixar o boi e os seus trabalhos. #TristeSituação;

*No Boi Garantido, o presis red tão logo saiu da reunião com o governador mandou parar, parcialmente, os trabalhos do galpão e assim se mantém e aos troncos e barrancos as frentes de trabalho estão contando com a ajuda e doações de torcedores. #TaDíficil;

* Existem muitas questões a serem resolvidas: 1. A operacionalização do festival; 2. A definição de quantas noites de apresentações; e 3. A disputa em si: como será a captação dos jurados que ficava a cargo da SEC e do Governo do Estado? #TaDíficil;

* No que tange a operacionalização do festival a TV A Critica e a Tucunaré Turismo chamaram para si a responsabilidade em conversa com os presis Adelson e Joilto. Em contrapartida, a Prefeitura de Parintins solicitou do Governo do Estado para a mesma assumir o Bumbódromo para a realização do festival. #SeVirando;

* O prefeito Alexandre da Carbrás viajou a Brasília, ontem, 29, para reunir-se com ministros dentre eles o de Justiça Alexandre de Moraes para convocar a Força Nacional de Segurança caso o Governo do Estado não disponibilize segurança suficiente para o Festival de Parintins. Na segunda-feira o prefeito desembarca em São Paulo aonde conversará com a iniciativa privada buscado apoio e ao retornar na quarta ou quinta-feira a Parintins marcará uma reunião emergencial com os presis bovinos. #SeVirandoComoPode;

* O titular da Sectur, Zezinho Farias, que até aqui vem realizando um excepcional trabalho tem demonstrado aos seus auxiliares mais próximos preocupação com a realização do Festival. É prioridade da pasta que o evento se realize e vem orientando o prefeito neste sentido, por entender que é o dever do município lutar por sua festa. #NaLuta;

* Tucano Boi de Papo Amarelo, cantou ao cretino colunista que Alexandre da Carbrás surpreenda os dirigentes dos bois nesta reunião após suas viagens anunciando que a Prefeitura de Parintins arcará com o som e a iluminação do Bumbódromo. O prefeito conta com o apoio e a ajuda de duas empresas locais especializadas no assunto. #Oxala;

* O Boi Caprichoso e o Boi Garantido não compartilham da mesma opinião quando se trata da quantidade de noites terá o festival este ano. Rumores de que o lado blue da força defende a ideia de que sejam duas noites de disputa e a terceira para brincar de boi, já o red da força não abre mão e tampouco arreda o pé: quer três noites porque se programou pra isso. #Impasse;

* Ambas as ideias são compreensíveis: o Boi Caprichoso está, ligeiramente, em desvantagem ao seu rival em termos de galpão, enfrentando dificuldades com material para formatar o seu projeto, tendo que usar quase que tudo do ano passado, em uma reciclagem generalizada. Duas noites seria ideal para a Francesa. #TentandoDialogo;

* Já o boi Garantido programou-se para três noites e já tem entre 70 ~ 80% disso pronto. Mesmo que o festival fosse hoje, os líderes da Baixa do São José são categóricos: temos boi para três noites. Dai a origem da divergência nesse assunto. #Irredutível;

* A entrega dos camarotes do Governo do Estado mostra que o rompimento entre Jose Melo e os bois Caprichoso e Garantido é definitiva. A decisão foi acertada, evitando assim que os mesmos fossem pedidos gerando mais um desgaste e conflito entre as partes. #MenosMau;

* O Boi Caprichoso divulgou há dois meses o seu calendário de eventos para a temporada 2016. Marcado para acontecer, ontem, 28, o segundo Boi de Rua foi cancelado. O motivo, segundo comentários, é de que a crise vivida pelos bois teria impossibilitado a realização do evento. #UmaPena;

* A respeito desse assunto o cretino colunista recebeu uma ligação de um dos membros do Boi Caprichoso fazendo alguns questionamentos. Segundo ele, o departamento de eventos do Bumbá realizou 32 shows para turistas ao valor de R$ 7mil/cada. Os participantes dos shows [músicos, bailarinos e etc.] supostamente recebiam o cachê de R$ 50/show [o Garantido pagava quando realizava esses shows R$ 90/show], sendo assim, não teria dinheiro em caixa para realizá-lo devido ao tempo de divulgação do calendário? #BoaPergunta;

* Outro questionamento apontado pelo decano em conversa com o cretino colunista é o gerenciamento destes shows que segundo o mesmo não cabia ao departamento financeiro e nem ao departamento administrativo do Boi da Estrela. O cretino encerra a conversa cortando e aparando: se você que esta ai dentro não entende o que dirá eu que estou de fora. #FicouChateado;

* Na última sexta-feira, 27, em Manaus, as proprietárias do Expresso Parintins, Egreen e Erika Baranda, em parceira com a Café com Leite das proprietárias Daniz e Isa lançaram as afamadas tapiocas Pavulagem e Perreché. O evento contou com a participação de muitos Vips, personalidades e artistas dos bumbás de Parintins. #Sucesso;

Foto: Divulgação / Internet
Foto: Divulgação / Internet

*A campeoníssima e multifacetada, Karyne Medeiros, despediu-se da galera azul de branca em noite dedicada a ela no ensaio show da Marujada de Guerra, realizada no Atlético Rio Negro Clube também na sexta-feira última. #BoaSorteGatesa;

* No sábado, 28, no Bar do Boi, no Clube da Assinpa, foi a noite do Item 19. Edição dedicada à galera azul e branca do Boi Caprichoso que fez bonito. Destaque para as belíssimas apresentações das torcidas FAB e Raça Azul que fizeram o diferencial e para o CDC Manaus. Em termos de show os nomes foram David Assayag e Klinger Araújo. #Arrasaivos;

* Os camarotes do Assinpa fervilharam: no camarote da imprensa, liderado pela competentíssima Marilza Mascarenhas, a presença de Nei Amazonas, Clayton Pacarelli, Carol Queiroz e João Arthur, da TV A Crítica. No camarote do Bradesco, da carismática Juliana Delmiro, presenças da ex Cunhã-poranga Tatiane Barros, do colunista Frank Freitas, Glauber Gonçalves e o pré-candidato à presidência do Boi Caprichoso Jender Lobato. Outro pré-candidato azulado que deu o ar de sua graça pelos espaços do bar do Boi foi o empresário Babá Tupinambá. #Bombados;

Foto: Luciano Bittencourt
Foto: Luciano Bittencourt

* Em Parintins, o Boi Garantido realizou no último sábado, 28, o Baile Vermelho e Branco em homenagem ao seu apresentador Israel Paulain celebrando 15 anos à frente do Boi do Coração. Foi uma festa linda e mais do que justa a esse grande ícone do Festival de Parintins e supercampeão da Baixa do São José, rendendo-lhe uma mega placa comemorativa e no domingo, 29, comandou o ensaio da Batucada no Almirante, em Manaus. #Parabéns;

Foto: Reprodução / Internet
Foto: Reprodução / Internet

 

alvo

4

5

6

7

8

É só por hoje…

… Por hoje!

Até a próxima…

#SouVitima!

você pode gostar também