Retomada do comércio tem acompanhamento técnico, reafirma Wilson Lima

Foto: Diego Peres/Secom.

Manaus (AM) – Em entrevistas a emissoras de TV, nesta terça-feira (02/06), o governador Wilson Lima reafirmou que o planejamento para a retomada gradual das atividades econômicas em Manaus foi uma decisão técnica, com base no monitoramento da curva de casos de Covid-19 e no aumento da capacidade de assistência na rede estadual de saúde. Ele também destacou que, dos 43 mil casos confirmados no Amazonas, mais de 34 mil já estão recuperados da doença.

“Temos um comitê de crise que acompanha todas essas situações e nós temos um subcomitê científico, que nos dá os parâmetros e os números para que nós possamos tomar decisões acertadas num momento tão complicado como esse. A decisão de reabertura gradual do comércio foi baseada na queda dos números de óbitos confirmados de Covid-19 e no aumento significativo de recuperados. Percebemos também uma queda aqui, na cidade de Manaus, dos enterros, que nós acompanhamos juntamente com a prefeitura, além da nossa ampliação na rede de atendimento na área da saúde”, explicou Wilson Lima.

De acordo com o governador, o cronograma de reabertura iniciado ontem (01/06), será acompanhado criteriosamente pelas autoridades e técnicos da área de saúde, sendo que a passagem para cada novo ciclo estará condicionada aos números da pandemia.

“Eu tenho sido muito claro em todos os meus posicionamentos de que, se nós tivermos um retorno ou um indicativo que teremos uma segunda onda ou repiquete, um início de uma segunda onda, eu não tenho a menor dúvida da decisão que nós vamos ter que tomar, que é retroagir e restabelecer as medidas restritivas”, frisou.

Ações no interior – Dos 43.195 casos confirmados no Amazonas até esta terça-feira (02/06), 56,06% estão no interior do estado. Para fazer frente a esse aumento da curva nos municípios, o Governo do Estado estruturou oito polos, em diversas calhas de rio, com Unidades de Cuidados Intermediários (UCI), garantindo o atendimento a pacientes de média gravidade. No caso de pacientes mais agravados, a transferência é feita para uma das unidades de referência na capital por meio de UTI aérea ou terrestre.

O governador Wilson Lima também reconheceu o empenho do Governo Federal no suporte ao Estado durante a pandemia, com o envio de respiradores, profissionais e insumos. A parceria possibilitou, ainda, a implementação da primeira ala indígena para tratamento do novo coronavírus, localizada no Hospital de Combate à Covid-19 (Nilton Lins), administrada pelo governo estadual.

“Nós já estamos recebendo esses indígenas nesse hospital e, inclusive, levando em consideração toda a questão cultural e uma estrutura diferenciada, com rede e sala do pajé, para que as tradições possam ser respeitadas. Nós ampliamos a nossa estrutura para atendimento a esses nossos irmãos e os casos mais agravados estão sendo trazidos aqui para a capital”, pontuou o governador.

você pode gostar também