(R)EXISTIR: DISCURSO, MEMÓRIA E RESISTÊNCIA INDÍGENA

Por Deyse Rubim | Parintins 24 Horas

[email protected]


O grupo de pesquisa formado pelos estudantes da Escola Senador João Bosco que desenvolve o Projeto – (R)Existir: Discurso, Memória e Resistência Indígena que faz parte do Programa Ciência na Escola – PCE, financiado pelo Fundação de Amparo à Pesquisa no Amazonas – FAPEAM, realizou no sábado dia 5 de outubro a ação “Para além dos muros da escola: Vivência e Trocas de Saberes” na comunidade Indígena Vila Batista no Rio Uaicurapá.

A ação contou com participação de toda a comunidade, principalmente das crianças, uma vez que as atividades foram direcionadas para o dia da criança, com muitas brincadeiras, distribuição de brinquedos, conversas e troca de saberes.

Os estudantes puderam ampliar seus conhecimentos com essa vivência na comunidade indígena. Uma vez que, o projeto do Grupo (R) Existir tem uma visão política acerca do indígena, enfatiza a sua valorização dentro da sociedade, já que não cabe mais a história relembrar que os indígenas não representam atraso, não vivem sem acesso ao conhecimento ou isolados usando arco e flecha, como são representados em algumas obras literárias e como, erroneamente, estamos acostumados a ver.

Para compreender o processo de construção, representação e mobilização dos indígenas no Brasil esses estudantes se reúnem para discutir os discursos que veiculam na mídia e para ampliar ainda mais seus conhecimentos saíram da sala de aula e foram vivenciar o cotidiano dentro da própria comunidade indígena.

você pode gostar também