Roraima: Candomblecistas denunciam intolerância religiosa após mulher ser atingida por estilhaços de bomba

Integrantes de uma casa de Candomblé, no bairro São Bento, zona Oeste de Boa Vista, denunciaram à Polícia Civil que foram vítimas de ataques de intolerância religiosa por parte de um vizinho, após uma bomba ser jogada no telhado da casa onde acontecia uma reunião, no sábado (9). Uma autoridade do local ficou ferida.

 

Segundo a candomblecista e analista de Recursos Humanos, Inadira Souza, de 42 anos, as vítimas registraram um boletim de ocorrência de intolerância religiosa no 5º Distrito Policial, na madrugada deste domingo (10).

 

De acordo com o documento, o suspeito de causar o ataque é dono de um comércio localizado ao lado da residência e, já se exaltou outras vezes, reclamando da prática religiosa.

Inadira contou a reportagem que o caso aconteceu por volta das 14h. O grupo, composto por 40 pessoas, estava cantando louvores quando uma bomba foi jogada no telhado da casa.

 

Na ocasião, a bomba abriu um buraco no telhado, de zinco, e os estilhaços acertaram a autoridade do terreiro, uma mulher, de 37 anos. A vítima foi atingida na região do peitoral.

 

“O telhado é de zinco e na hora que ela [a bomba] explodiu, abriu um rombo enorme e os estilhaços acertaram ela, feriu e saiu bastante sangue”, ressaltou a analista.

 

O agressor, segundo a mulher, reclama do barulho dos atabaques usados no culto, mas também demonstra preconceito em relação à prática religiosa.

 

“A gente faz nossos rituais e a gente vez sofrendo constantemente intolerância religiosa por parte do vizinho. Porque se a gente toca curimba a noite, ele chama a policia e se tocamos de dia ele joga bomba. Então, já não é mais a questão da zoada que ele alega, mas sim intolerância religiosa mesmo”.

 

 

Com informações do g1

você pode gostar também