Sacerdote Católico afirma que “não basta Combater o comprador de votos, mas também quem vende o voto”

“Os jovens terão um papel muito importante, pois eles estão muito mais consciente".

Da Redação | Parintins 24 Horas

[email protected]

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) tem amplamente divulgado suas cartilhas de combate a corrupção no país e apoiado campanhas como do Ministério Público que criou as dez medidas de combate a corrupção. Em Parintins foi criado o Movimento de Combate a Corrupção da cidade de Parintins (MCCPIN). O comitê de combate à corrupção quer conscientizar a população a ser fiscal da sociedade e denunciar os crimes praticados por agentes corruptos.

De acordo com a lei 9.504/97, a lei das eleições,  comprar votos é um crime previsto que pode levar à cassação do registro ou do diploma do candidato. De acordo com a legislação, o candidato não pode doar, oferecer, prometer ou entregar ao eleitor nenhuma vantagem pessoal de qualquer natureza com o fim de obter seu voto.

Na opinião do Padre Mauro Romannelo que participou da mesa do lançamento do MCCPIN se faz necessário não apenas trabalhar o combate ao comprador de votos, mas a quem vende o seu voto. De acordo com ele, quem vende o voto está comercializando o futuro da cidade e de seus filhos. “Sempre vai ter alguém querendo comprar votos. O problema é quem vende, pois está matando o futuro dos seus filhos”, afirmou o religioso.

Ele defende uma ampla campanha de conscientização sobre as consequências para o futuro das famílias de quem comercializa o voto e acredita na juventude para mudar esse cenário. “Os jovens terão um papel muito importante, pois eles estão muito mais consciente de que o voto corresponde ao futuro. Eles podem ser um elemento fundamental nessa luta contra a venda do voto”, finalizou.

você pode gostar também