Santander investe no Amazonas com implantação de modelo pioneiro com polos de atendimento a PMEs

Modelo pioneiro de relacionamento mais próximo com as pequenas e médias empresas chega a 218 municípios e complementa a estratégia de interiorização do Banco Atendimento especializado dentro das empresas eleva níveis de satisfação e de fidelização dos clientes do segmento empresarial

Além de um planejamento que contempla um crescimento no número de agências no Amazonas em 2022, o Santander Brasil vem investindo para acelerar um novo modelo com foco no público pessoa jurídica. Duas agências do Banco em Manaus já estão com os polos de atendimento a pequenas e médias empresas (PMEs) estruturados e instalados em um espaço no qual especialistas em soluções financeiras estão disponíveis para atender empresas com faturamento mensal entre R$ 3 milhões e R$ 30 milhões.

Em Manaus, esses espaços estão presentes nas agências localizadas na Avenida Silves, nº 187, no Bairro do Crespo, e na Avenida Eduardo Ribeiro, nº 590, no Centro. O modelo pioneiro do Santander disponibiliza gerentes que realizam visitas periódicas às empresas, estabelecendo, assim, uma relação próxima e duradoura com os clientes à medida em que conhecem a fundo suas demandas mais particulares de cada negócio.

Os polos reúnem times compostos por gerente-geral, gerente de relacionamento e gerente de negócios e serviços. Todos são dedicados ao atendimento personalizado a PMEs. Vale destacar que nos polos, em média, 80% dos atendimentos ocorrem presencialmente: ou os clientes vão até as agências, ou os profissionais do banco que visitam as empresas.

“O Santander tem um olhar bastante atento à região Norte do País, e o Amazonas faz parte desse contexto. Vamos dar capilaridade no Estado, com previsão de aberturas de novas agências no interior, como Tefé, prevista para este semestre. Na capital, estamos com esse movimento importante dos polos do Santander de personalizar ainda mais o atendimento de acordo com as demandas específicas de cada empresa. Apostamos que a nossa inteligência em desenvolver soluções de serviços e produtos, além de profissionais qualificados, reforce essa sinergia e possamos agregar valor ao negócio”, superintendente executivo da Rede Norte Amazônica do Santander Brasil, Antonio Areias.

Outro diferencial do Santander é que, no modelo dos polos, cada gerente tem uma quantidade menor de clientes. É um grupo pequeno a ponto da equipe saber de cabeça o nome e sobrenome de cada um. E mais que isso: que tenham uma agenda de visitas recorrentes a todos. Indicadores internos do Santander indicam que a presença física contribui para que o empresário viabilize mais negócios com o banco. A demanda por crédito é uma das mais recorrentes.

“O contato pessoal agrega muito valor à empresa. É um modelo que de largada gera mais satisfação ao cliente e isso vai aumentando conforme ele tem respostas às suas demandas”, explica Franco Fasoli, diretor do segmento Empresas do Santander.

“Ideias customizadas, em vez de soluções padrões, ajudam as empresas a terem um crédito aprovado mais rapidamente. A viabilizar uma demanda específica de investimento, de capital de giro, de negócios internacionais. Como é um trabalho de consultoria, o gerente desenha junto com o cliente a operação mais adequada e a entrega é muito mais ágil”, finaliza o diretor do Santander.

A estrutura dos polos começou em 2016, com apenas uma agência em Guarulhos, na Grande São Paulo. No início de 2020, já eram 190 pontos. Hoje, com o foco do banco voltado à interiorização, já são 218 polos nas cinco regiões do Brasil.

você pode gostar também
..