-Publi-A-

“Se eu quisesse matar tinha atirado um monte de vezes”, diz assassino de vendedor

Hélio (de vermelho) disse que já conhecia o vendedor e que não tinha ido ao local "para fazer o mal" (Foto: Jander Robson)

Manaus: Hélio Fernandes de Souza, de 19 anos,  responsável pelo disparo que culminou na morte do vendedor de frutas  Jonas Lins de Oliveira, 62 anos, assassinado em uma loja no Centro de Manaus na tarde desta quarta feira, 9, disse que a intenção dele não era cometer o crime.

“Foi só uma bala, se eu quisesse matar ele tinha atirado um monte de vezes, mas foi só uma bala”, afirmou ele, dizendo que estava no local para fazer compras e foi confrontado pelo vendedor. “Ele bateu na arma, não fui eu não”.

Dizendo que é trabalhador,  Hélio afirmou que já conhecia o vendedor assassinado porque já havia trabalhado no Centro de Manaus. “Eu não sou ladrão não, todo mundo me conhece lá, eu tinha ido só comprar umas coisas pro meu celular”, alegou Hélio, que disse ter saído há um mês da cadeia onde cumpria pena por furto.

Hélio estava com a arma, enquanto Byllys Smith Nascimento de Oliveira, 24, é o dono da moto usada por eles para tentar fugir. Eles foram presos na  Avenida Constantino Nery, em frente a Nissan, minutos após cometerem o crime. “A gente não queria fazer o mal não, se a gente fosse fazer o mal a gente ia atrás de outro canto para roubar, não ia no Centro não, sabendo que tem um monte de gente lá”.

Do Acritica
você pode gostar também