Sem terras protestam contra prisões

Cerca de cento e cinquenta pessoas participaram dos protestos na porta da Delegacia Interativa de Polícia contra a prisão de três integrantes da comissão que organiza as famílias que ocupam, há duas semanas, uma área de terras por trás do Bairro União.

Pouco antes das 13 horas, Kildson Teixeira Roberto, Ilzilene Teixeira de Souza e José Lauro Pinheiro foram abordados por uma guarnição da Polícia Militar nas proximidades da área do SAAE e identificados como membros da comissão dos Sem Terras. Eles foram presos e conduzidos à Delegacia, onde foram recolhidos ao xadrez.

Segundo os militares que efetuaram a prisão, os três portavam papéis que os identificavam como membros da ocupação de terras.

A reação dos ocupantes das terras veio de imediato e uma verdadeira romaria se dirigiu até a porta de Delegacia para protestar e pedir a liberação dos três.

Eles foram liberados por volta das 16 horas, após serem ouvidos pelo delegado Bruno Fraga. Nesta quarta-feira uma comissão representativa das famílias terá encontro na Promotoria de Justiça.DSC_0012

Os manifestantes permaneceram em frente à Delegacia de Polícia até a liberação dos três presos. Com palavras de ordem e discursos, os protestantes diziam não se tratar de bandidos ou corruptos para estarem na cadeia. “São pais e uma mãe de família que lutam por direito à moradia. Não é justo o que fizeram com eles, como se fossem marginais”, reclamou uma jovem que se identificou com o nome de Teixeira.

Segundo Teixeira, os três iam almoçar quando foram abordados pela polícia. “Eles foram jogados contra o muro do SAAE e depois jogados dentro do camburão. Não roubaram, não mataram, nem desrespeitaram ninguém. Aqui somos todos sem terras, então todos temos que ser presos”, disse um manifestante.

Floriano Lins | Plantão Popular

Fotos: Katiúscia Ferreira

você pode gostar também