Situação ‘caótica’ da Maternidade Ana Braga é constatada por vice-governador e secretário de saúde

O vice-governador e secretário estadual de Saúde, Carlos Almeida Filho, inspecionou a Maternidade Ana Braga, na madrugada deste domingo (13/01) e constatou falta de leitos de Unidade de Terapia intensiva (UTI), de medicamentos e insumos e de ar condicionados em alguns ambientes, além de má acomodação de pacientes e acompanhantes.

“Alguns pontos são bastante complicados, como a ausência de UTI em funcionamento. A questão do albergado é muito crítica, e a própria enfermagem, que precisa de um apoio, tanto para o conforto dos acompanhantes, quanto para os pacientes. E se observou um problema muito sério de refrigeração aqui, além do crônico problema da falta de medicamentos e insumos”, disse o secretário.

 

Com relação à regularidade dos pagamentos de terceirizados, Almeida afirmou que vai analisar os contratos para fazer um levantamento sobre os pagamentos de fornecedores e terceirizados, a fim de constatar os atrasos. “Ao que nos consta, fornecedores terceirizados se encontram nessa situação, nós precisamos fazer esse levantamento”, disse.

Outro ponto observado durante a inspeção foi o atendimento de mães e bebês que precisam de transferência para tratamentos em outras unidades de saúde, como é o caso dos cardiopatas. “Algumas crianças precisam de tratamento no Hospital Francisca Mendes e se encontram há meses esperando”, comentou.

Uma das providências a serem tomadas é a organização do fluxo da rede de saúde, segundo Almeida. “Isso precisa ser feito em conjunto e nós vamos fazer o máximo de esforço para que isso funcione”, destacou.

A secretária executiva da Susam, Vanessa Nascimento, classificou o estado da maternidade como “caótica”. “Nós temos problemas estruturais, de abastecimento e de equipamentos”, salientou.

Para ela, o primeiro passo é ouvir os profissionais que estão em contato direto com a população para entender as necessidades para um bom funcionamento da unidade de saúde. “E assim criar um método para que a gente possa identificar todos os problemas e as possíveis soluções, bem como classificá-las no grau de emergência e naquilo que vai poder esperar para poder trabalharmos ao longo desses quatro anos”, explicou. Segundo a secretária executiva da Susam, as maternidades vão ter prioridade de tratamento na atual gestão.

Futuras inspeções – As inspeções nas unidades vão continuar e devem acontecer semanalmente ou em períodos com menor tempo de intervalo, de acordo com o vice-governador e secretário de Saúde. “O objetivo é constatar a rede em funcionamento. Então, os horários e as constatações são feitos em momentos aleatórios, sem hora marcada”, destacou.

Inspeções anteriores – O secretário já esteve com a equipe no Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, Complexo Regulador e Central de Medicamentos do Amazonas (Cema).

FOTOS: VITOR SOUZA/SUSAM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here