-Publi-A-

Super maconha preocupa a Polícia Militar em Parintins

Kedson Silva | Jornal da Iha

Parintins (AM) – A apreensão de uma grande quantidade da droga skank em poder de Fredson de Jesus da Silva Viana (18) na última sexta-feira, 29 de julho, por uma guarnição da Polícia Militar, gerou preocupação ao comandante do 11º Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel Valadares Júnior.

De acordo com Valadares Júnior, a preocupação maior é com a comercialização e consumo dessa substância entorpecente, principalmente pelo seu alto poder de destruição, alucinação e dependência. “A preocupação é com o efeito devastador, chegando a consumir a mente do ser humano e também com relação a sua dependência”, destacou.

Ele afirma que outra preocupação e com relação à comercialização envolvendo jovens. “A partir do momento em que um jovem passa a experimentar esse tipo de droga, a sua dependência é imediata, vindo a se alastra rapidamente na cidade”, disse.

Combate

Valadares informa que combaterá a todos os tipos de delitos. “Estamos interagindo junto com o setor de inteligência da Polícia Civil para combater a entrada, principalmente desse tipo de droga na nossa cidade, para vermos como podemos combater o fornecimento”.

Segundo os militares, Fredson Viana foi abordado por uma guarnição militar em atitude suspeita. Na revista foi encontrada em seu poder uma sacola plástica com uma grande quantidade da droga skank.

A primeira ocorrência de Skank em Parintins tem registro policial no dia 19 de outubro de 2015, quando um início de overdose em um adolescente de 14 anos de idade gerou pânico nos familiares do menor. Levado ao hospital, o garoto contou ao médico que desmaiou depois de estar consumindo uma droga conhecida como “Skank”. O menor passou por uma desintoxicação para vencer os efeitos da droga.

Droga Skank

Espécie de maconha muito forte, considerada “Supermaconha” com alto poder de destruição e alucinação. Seu uso leva a alterações no organismo, fazendo com que o indivíduo tenha dificuldades de coordenação motora por danos nos neurônios.

você pode gostar também