-Publi-A-

Suspeito de matar açougueiro a tiros em Parintins se entrega para a polícia

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Ruan Felipe Batista Ribeiro, conhecido como Pão Bolo, suspeito de matar com dois tiros o açougueiro Ocimar Lázaro da Silva, de 35 anos, na manhã de domingo (07), se entregou para a polícia nesta terça-feira (09) acompanhado de um advogado.

Ocimar foi morto na manhã de domingo ao reagir a uma tentativa de assalto no açougue onde ele trabalhava, situado na esquina da Avenida Nações Unidas com a Rua Gomes de Castro, Centro, próximo ao curral do Boi Caprichoso.

Ocimar Lázaro da Silva. Foto: Reprodução.

Testemunha principal disse a polícia que Ruan Felipe e Júlio Cesar Guerreiro chegaram ao estabelecimento em uma motocicleta. Ainda segunda a testemunha, o anúncio do assalto foi feito por Júlio Cesar que foi surpreendido ao Ocimar reagir. Diante disso Ruan Felipe efetuou os disparos e fugiu na motocicleta, deixando o comparsa para trás. Ocimar foi atingido por dois tiros no tórax que perfuraram o coração. A vítima chegou a ser conduzida pela Central de Resgate ao Hospital Padre Colombo, mas já estava morto.

Júlio Cesar Guerreiro. Foto: Reprodução.

Júlio Cesar foi encontrado pelas polícias Civil e Militar em cima do Centro de Costura Dona Cota, localizado na Avenida Nações Unidas, a poucos metros de onde ocorreu o crime. Júlio se entregou para a polícia e ficou ferido ao cair do telhado. O suspeito foi conduzido ao Hospital Padre Colombo onde passou por um procedimento cirúrgico e está internado.

Hoje as polícias Militar e Civil intensificaram as buscas de Ruan que estava foragido. De acordo com o investigador da Polícia Civil, José Maria Castro, por volta das 12h30, Ruan Felipe se entregou na delegacia acompanhado de um advogado. A princípio ele nega as acusações. “A princípio ele está negando, mas os álibis dele são muito fracos. A Polícia Civil vai quebrar todos esses álibis pois ele está mentindo. Disse que estava desde domingo no mato porque estava preocupado, mas ele não apresentava sinais de que estava no mato. Ele disse também que estava em casa no dia crime, mas o comparsa dele que está hospitalizado confirmou que foi ele que efetuou os disparos e as testemunhas também o reconheceram”, informou o investigador.

Ruan Felipe se encontra em uma das celas da delegacia e a delegada Alessandra Trigueiro apresentou na Justiça o pedido de prisão preventiva dele. A decisão da Justiça deve sair amanhã de manhã.

você pode gostar também