-Publi-A-

Touro Preto vence XXX Festival Folclórico de Barreirinha

O trigésimo Festival Folclórico dos Touros de Barreirinha (a 370 quilômetros de Manaus) terminou com a vitória do Touro Preto sobre o Touro Branco por uma diferença de seis décimos. A vitória do Touro Negro consagrou o enredo “Raízes”, que levou para o Touródromo, tradicional local de apresentações, na noite do dia 14, personagens importantes da cultura do município. O Touro Branco, que abriu a noite de apresentações, defendeu o tema “Herança”.

O grande campeão do XXX Festival Folclórico de Barreirinha levou para a arena uma alegoria que representava a Vila Nova de Barreirinha e dela surgiram as figuras do Amo do Boi, Prince do Touro Preto, e da Sinhazinha da Fazenda, Rashelley Mesquista, que se apresentou com leveza e graça. O Amo do Boi apostou no ritmo nordestino, entre exaltação da cultura de Barreirinha e desafios ao boi contrário, que foi seguido à risca pela Marujada.

A apresentação grandiosa animou a galera que, com adereços e muita empolgação, foi um dos pontos fortes na apresentação do Touro Preto. A Vaqueirada representou no Touródromo a religiosidade do povo de Vila Nova. Outro grande momento do Touro Preto foram as tribos coreografadas, que impressionaram pela criatividade e pela coragem dos integrantes.

A Cunhã Poranga, Aysha Victoria Silva, entrou na arena em um gavião real e defendeu o item com garra. O final da apresentação do Touro Preto representou o ritual de iniciação Saterê Maué e de um dos módulos surgiu o Pajé, James Tony em uma tucandeira gigante. A surpresa levou a galera ao delírio. O touro, que defende as cores azul e branca, encerrou em grande estilo mais Festival Folclórico de Barreirinha.

O presidente do Touro Preto, João Paulo Beltrão, agradeceu a diretoria por ter acreditado, junto com ele, no projeto de arena do touro e por ter enfrentado todas as dificuldades que surgiram ao longo do caminho. “Chegamos ao resultado esperado, que foi o título, e eu só tenho a agradecer a minha diretoria e a galera, que sempre esteve conosco. Agradeço ao Touro Branco também por ter nos proporcionado uma disputa em alto nível”, falou o presidente.
Touro Branco

E Touro Branco abriu a noite de disputa defendendo o tema “Heranças”, retratando a cultura, costumes, mitos e crenças repassados às gerações da cidade. Com os itens representando índios, nordestinos e caboclos, os brincantes tomaram a arena com muita vibração. O Amo do Boi, Adriano Aguiar, improvisou na arena ao som do violão e levantou a galera do Touro Branco A celebração folclórica levou para a apresentação a Sinhazinha da Fazenda, Gabrielle Belo que, além de beleza, demonstrou muita garra na defesa do seu item.

Um dos pontos fortes do Touro Branco na arena foi a defesa do item toada, letra e música pelo levantador, Amarildo Costa Silva. A batucada do Touro Branco mostrou diversidade e riqueza de ritmos. A Porta Estandarte, Adriana Azevedo, também mostrou beleza, garra e arrancou gritos da galera encarnada com a sua apresentação.

A alegoria que retratava a Catedral de Nossa Senhora do Bom Socorro serviu de cenário para a homenagem a São Benito, um dos momentos de maior emoção do Touro Branco. A mesma alegoria da Catedral modificou-se e se transformou em cenário para a figura típica regional, que retratou a vida do farinheiro e serviu de palco para a aparição da Rainha do Folclore, Amanda Marinho, que surgiu em uma garça.

O momento de maior êxtase, porém, foi o Ritual da Tucandeira, que representou a passagem da infância para a vida adulta dos índios saterê maué. O Pajé, Girlan Mesquita, entrou na arena em uma enorme tucandeira e levou a torcida encarnada ao delírio.

E, mesmo fazendo uma bela apresentação e que levou a galera aos gritos de é campeão, o título ficou com o boi contrário. Para o presidente do Touro Branco, Milo Bahia, a perda do título não deve ser encarada como uma derrota, mas um aprendizado para os próximos festivais.

“Agradeço à prefeitura de Barreirinha por ter resgatado essa cultura que estava defasada, aos artistas, sócios e aos simpatizantes que acreditaram na vitória que não veio neste ano. Nós vamos continuar acreditando, trabalhando e, quem sabe no próximo ano, a gente saia como campeões e complete a alegria da nossa galera”, afirmou Bahia.

Este ano, a Prefeitura de Barreirinha investiu mais de R$ 600 mil em infraestrutura para a realização do XXX Festival Folclórico como forma de valorização da cultura regional e também na atração de turistas para o município do Baixo Amazonas. Na próxima semana o prefeito de Barreirinha, Glênio Seixas, terá uma reunião com o governador, Amazonino Mendes, para tratar sobre questões relacionadas ao município e para lhe apresentar um balanço sobre o festival folclórico deste ano.

“O nosso festival está se modernizando e isso traz mais conforto e melhorias para os habitantes de Barreirinha, mas o principal é o fortalecimento da economia da nossa cidade e saber que o nosso povo está alegre não só por poder participar dessa festa, mas por poder ganhar o pão de cada dia. Eu, como gestor, fico alegre e satisfeito, com o sentimento de dever cumprido por ter, mesmo com tantas dificuldades, realizado este festival. Recebemos cerca de sete mil visitantes, mas queremos atrair mais gente, trazer renda para nossa cidade e valorizar ainda mais o nosso festival”, finalizou

você pode gostar também