-Publi-A-

Trabalho e Segurança: obras em Parintins não paralisaram

Foto: Yuri Pinheiro.

Devido as normatizações resultantes da pandemia do novo coronavirus, os trabalhos em obras sofreram redução em todo o mundo. Em Parintins não foi diferente. Porém, atendendo as recomendações dos órgãos de saúde, a Prefeitura de Parintins regula o funcionamento de diversas obras na cidade. O objetivo é proteger o trabalhador, mas dar continuidade aos projetos de infraestrutura no município de forma segura.

Parintins mantém os trabalhos de obras importantes como o Complexo da Baixa do São José que reúne Mercado Municipal, Praça de Alimentação e Orla para embarcações que utilizam aquele espaço. No bairro Palmares também recebe infraestrutura na orla e construção da Praça de Convivência, além do recém inaugurado Ginásio Poliesportivo Seo Jovem.

Outra importante obra que se mantém é o Muro de Arrimo na frente da cidade. Na área conhecida como Comunas também acontecem três obras: o próprio muro de arrimo, a reconstrução da rua Caetano Preste e a reforma da praça Judith Prestes. Os trabalhos são conduzidos pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, Semosp, projetados Prefeitura de Parintins.

O serviço de recapeamento das ruas de Parintins aguarda início dos trabalhos de levantamento de dados feitos pela Caixa Econômica Federal. Portanto, o asfaltamento depende desse trabalho para ter continuidade no municipio. Também atentos aos cuidados em saúde, os serviços de coleta de lixo, apoio operacional no transporte de cilindros de oxigênio, varrição de ruas, capina, roçagem e demais ações de limpeza da cidade continuam.

O subsecretário da Semosp, Lázaro Ferreira, garante que as obras e sérvio em Parintins não paralisaram, mas seguem em ritmo adequado às orientações dos órgãos de saúde. “Nós estamos respeitando os limites da saúde. Nós estamos respeitando as orientações das autoridades sanitárias e com isso as obras estão em ritmo mais lento, porém, não paralisaram. Algumas que precisam ser retomadas de maneira mais urgentes e que dependem da enchente dos rios, essas já aceleramos um pouco e mantemos os cuidados”, explicou.

você pode gostar também