Triste noticiar: Comunicadores lamentam a morte de Aderaldo Reis

Eldiney Alcântara | 24 Horas

[email protected]

A morte do Aderaldo Reis, na madrugada de hoje, 21, em Manaus, acordou de forma trágica o povo de Parintins, em especial, comunicadores que atuavam com o radialista e tiveram que noticiar a triste perda.

O cinegrafista Iziel Pimentel foi colega de trabalho e amigo de Aderaldo Reis. Ele também trabalhou com o jornalista Tadeu de Souza e lamenta essa nova perda. “Pra mim foi uma perda muito grande. Ele deixou uma experiência de um repórter que não tinha medo. Isso foi um aprendizado e um incentivo muito grande que ele me deu. Depois que o Tadeu morreu eu me peguei muito no Aderaldo”, diz emocionado.

O apresentador Ocimar Lima, que atuou com Aderaldo na TV em Tempo Parintins, classificou Aderaldo como um ícone da comunicação parintinense. “Aderaldo Reis é mais um daqueles comunicadores ícones da comunicação do município que vai deixar muitas saudades. Era uma grande personalidade de Parintins. Quem pela manhã não aguardava o plantão de polícia com a irreverência toda de Aderaldo Reis?”, lembra o jornalista.

“É um momento muito difícil pra todos nós. O Aderaldo também foi um professor, especialmente, pra mim. Quando comecei em 2009, no primeiro dia, Aderaldo já veio me chamando atenção, me dando algumas dicas do jeito dele, muito espontâneo, muito direto. Foram dicas que eu carrego até hoje”, revelou o colega de trabalho da rádio Clube, jornalista Márcio Costa, que enalteceu o trabalho do radialista.

O jeito diferenciado de fazer jornalismo também influenciou novos comunicadores da cidade. Para o jovem jornalistas Marcos Felipe, do Sistema Alvorada de Comunicação, Aderaldo também serviu de inspiração. “Um profissional que desenvolveu ao longo de sua trajetória um jeito peculiar de noticiar os fatos da Ilha. A gente que está começando essa trajetória sempre observa profissionais como Aderaldo Reis, pra que a gente possa desenvolver esse trabalho”, disse gratificado o jornalista.

“O Aderaldo Reis sempre se destacou na comunicação no Amazonas por esse jeito único de dar uma notícia trágica, mas de certa forma com um pouquinho de irreverência que acabava transformando a tragédia em uma coisa mais suave pra quem está ouvindo”, ressaltou o secretário de comunicação de Parintins, Gil Gonçalves, ao elogiar a forma única de comunicar de Aderaldo Reis.

Aderaldo Reis preferia ser chamado de radialistas e atuava na rádio Clube de Parintins há cerca de 30 anos. Ele também trabalhou na rádio Alvorada e na TV Em Tempo Parintins. Ficou conhecido por suas reportagens policiais irreverentes e corajosas. Ele faleceu na manhã desta quarta-feira, 21, no hospital Delphina Aziz, em Manaus, onde estava internado por complicações de saúde decorrentes do novo coronavírus.

você pode gostar também