-Publi-A-

Trump diz que nunca anunciou quando o ataque contra a Síria iria ocorrer

Donald Trump fala com a imprensa após almoço com líderes dos países do Báltico, na Casa Branca, em Washington, em imagem de arquivo (Foto: Kevin Lamarque/Reuters)

O presidente Donald Trump afirmou nesta quinta-feira (12) que nunca disse quando o ataque contra a Síria iria ocorrer. A declaração acontece um dia após ter o chefe de estado americano ter subido o tom com a Rússia, principal aliada do governo de Bashar Al-Assad, dizendo que mísseis “bacanas, novos e inteligentes” estavam chegando à Síria.

“Nunca disse quando um ataque à Síria aconteceria. Poderia ser muito em breve ou não! De qualquer forma, os Estados Unidos, sob minha administração, fizeram um ótimo trabalho livrando a região do ISIS [Estado Islâmico]. Onde está o nosso “Obrigado América?”, afirmou Trump no Twitter.

Para o presidente sírio, qualquer ação das potências ocidentais poderia desestabilizar ainda mais a região.

“Com todas as vitórias alcançadas no campo, as vozes de alguns estados ocidentais se levantam e as ações se intensificam em uma tentativa de mudar o curso dos acontecimentos. Essas vozes e qualquer ação possível contribuirão apenas com um aumento na instabilidade na região, ameaçando a paz e a segurança internacional”, declarou Bashar Al-Assad, segundo relato da TV estatal síria.

Quando Assad menciona vitórias no campo, ele se refere ao avanço do exército sírio na cidade de Duma, em Guta Oriental. Embora o governo sírio não tenha anunciado oficialmente, rebeldes entregaram as armas e deixaram a cidade na quarta-feira, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Ameaça americana

Trump vem ameaçando há dias dar uma resposta ao suposto ataque químico na cidade de Duma, em Guta Oriental, que é um enclave rebelde nos arredores de Damasco. Para o governo americano, o governo sírio voltou a usar armas químicas contra os rebeldes.

Já no domingo (8), em uma mensagem no Twitter, Trump afirmou que Rússia e Irã eram responsáveis por apoiar o “animal” Assad e que haveria um “grande preço” a pagar.

Na segunda-feira (9), o presidente americano anunciou que tomaria uma “decisão importante” sobre o assunto. “Estamos estudando a situação e falando com líderes militares, e tomaremos alguma decisão importante nas próximas 24 a 48 horas”, afirmou.

A tensão na região aumentou e na quarta-feira, quando o prazo para a importante decisão expirou, Trump voltou às redes sociais para ameaçar a Rússia.

“A Rússia promete derrubar todos e quaisquer mísseis lançados contra a Síria. Prepare-se, Rússia, porque eles estão chegando, bacanas, novos e ‘inteligentes’! Vocês não deveriam ser parceiros de um animal que usa gás para matar o seu povo e gosta disso”, afirmou Trump no Twitter, fazendo referência ao ataque ocorrido no sábado (7).

“Nosso relacionamento com a Rússia é pior agora do que nunca, e isso inclui a Guerra Fria. Não há razão para isso. A Rússia precisa de nos ajudar com sua economia, algo que seria muito fácil de fazer, e precisamos que todas as nações trabalhem juntas. Vamos parar a corrida armamentista?”, escreveu ainda o americano, num outro post no Twitter.

Nesta quinta, a Rússia afirmou que a linha telefônica militar especial com os Estados Unidos, que pode evitar incidentes na Síria, continua ativa.

Com informações do g1

você pode gostar também