Turismo será potencializado pela Amazonastur e UEA para ser nova matriz econômica

A Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) firmou parceria, nesta quinta-feira (07/02), com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), por meio do Observatório de Turismo da UEA (Observatur), para potencializar o setor como nova matriz econômica do estado.

Um grupo de trabalho do órgão, juntamente com a equipe de professores da UEA, vai compilar dados do turismo, via Observatório, do que foi produzido na região nos últimos anos. A ideia é fazer um estudo a longo prazo com o prognóstico para o setor, identificando erros, acertos, além do trabalho desenvolvido no estado.

Para o gerente de estatística da Amazonastur, Francisco Alves, o grupo de trabalho, via Observatur, vai colaborar para a criação de uma rede de informação capaz de desenvolver projetos viáveis baseados em compilação cientifica.

“Quanto mais informação a gente alimentar lá, mais pesquisas serão produzidas. Vamos construir uma rede infinita de informações que vão colaborar para que a gente possa desenvolver muita coisa do turismo no Amazonas, porque vamos ter políticas públicas, no conhecimento, na produção técnica e não apenas acadêmica. E não simplesmente baseadas no que alguém possa ter como opinião pessoal, desenvolver um projeto que não atende a realidade local ou que seja inviável economicamente para o estado”, analisou o gerente.

Resultados – De acordo com a coordenadora do Observatório de Turismo da UEA, professora Selma Batista, os primeiros resultados dos estudos se darão em pelo menos um ano e meio. Ela destacou que o objetivo do grupo de trabalho é unir todos os órgãos agregados ao turismo para transformar o setor numa matriz econômica.

“Com a parceria, a gente cria leituras diferenciadas sobre os cenários. É importante levantar dados, sistematizando-os, e fazendo leitura dos cenários do turismo, hoje. Com esses dados, a gente consegue projetar o que seria mais viável, relevante, pensar efetivamente o turismo como a matriz. Às vezes, a gente está agregado, mas não está conectado. E nós do Observatório do Turismo temos a missão de identificar aqueles que estão agregados na atividade turística, conectando numa única sinergia (observatório), para que a gente possa conseguir colaborar na geração da matriz”, comentou a professora.

Selma Batista salientou ainda que o levantamento de dados substanciará as projeções  turística de cada região do Amazonas. “O turismo hoje gera 7% das exportações de escala mundial. Um a cada dez empregos está destinado para o profissional de turismo. E se a gente consegue ter dados estatísticos que permitam a gente fazer uma análise com mais variáveis, e pensar esses dados num universo da atividade turística do Amazonas, a gente consegue fazer projeções a médio e longo prazos, para nos tornemos de fato uma potência e referência para a economia do estado”, disse Selma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here