Tuxauas ganham notoriedade com coreografias no Boi Caprichoso

Por Kássia Muniz | Especial para o Parintins 24 Horas

Item tão importante quanto os demais, a cada ano os tuxauas do Boi Caprichoso inovam na arena e passaram a ganhar visibilidade e notoriedade, principalmente ao acrescentar o quesito coreografias às apresentações no Bumbódromo.

No boi azul, os responsáveis pelo item são o meio-maratonista, Wilker Sá, o personal treiner, Edinho Oliveira, e o policial militar, Jarbesom Souza, que tem como reserva o educador físico, Leon Dray. “Fazemos a cênica com as tribos, outro tipo de evolução com os tuxauas e nesse ano daremos outra abordagem a apresentação, como foi mostrado nos ensaios técnicos”, comenta Wilker.

Com a visibilidade do item, os tuxauas também caíram no gosto da galera e segundo eles, cada vez é mais comum a abordagem dos torcedores em conhecer o trabalho, popularizando o item 14.

Para ser tuxaua, é necessário ter um bom acondicionamento físico, pois cada capacete pesa de 40 a 50kg. Na arena, também o tempo de apresentação do item é em torno de 15minutos, além de não poder ter contato do mesmo com o chão.

“É um item coletivo que desde 2017 vem se tornando popular e esse contato com a galera é muito positivo”, avalia Wilker.

você pode gostar também