-Publi-A-

Uber começa a operar hoje em Manaus

O aplicativo de corridas Uber começa a operar nesta quarta-feira (12), a partir das 14h em Manaus. A empresa que conecta passageiros a motoristas cadastrados começa as atividades na capital na modalidade Uber X, que oferece uma corrida até 42% mais barata que o táxi.

O serviço, segundo o diretor geral da empresa na região Norte, Henrique Weaver, está amparado na lei de Mobilidade Urbana nº 12.587 de 2012, que prevê o uso de serviços privados de transportes no País.

O diretor da empresa informou que, inicialmente, o aplicativo vai aceitar pagamentos apenas via cartão de crédito, cadastrado no aplicativo do usuário. Segundo ele, a intenção é implantar aos poucos o pagamento em dinheiro, para que não haja problema com o troco do passageiro.

“Nas semanas seguintes vamos introduzindo, aos poucos, o pagamento em dinheiro”, garantiu o diretor.


O diretor geral da empresa na região Norte, Henrique Weaver, afirma que o app está amparado pela lei/ Foto: Sandro Pereira

Manaus é a segunda cidade da Região Norte a receber o aplicativo. Belém, no Estado do Pará iniciou o serviço em fevereiro.

A corrida começa com o preço inicial de R$ 1,50, semelhante a bandeirada usada pelos taxistas, que atualmente é R$4 na capital. O cálculo é feito ainda com a soma de R$ 1,15 por quilômetro percorrido e mais o valor de R$ 0,15 por minuto de corrida. No caso dos taxistas, o quilômetro rodado bandeira um é R$ 2,60 e na bandeira dois R$ 3,45.

Numa simulação, da corrida saindo da sede do DIÁRIO, na Avenida Djalma Batista, até o Teatro Amazonas, percorrendo cinco quilômetros, em 17 minutos, segundo o trânsito do horário das 13h45. O valor da corrida pelo Uber custaria R$ 9,80, já em uma corrida bandeirada um de táxi, pelo menos R$ 17. A reportagem usou o aplicativo de navegação Waze para calcular o tempo de percurso.

Nesta corrida, o valor praticado pelo táxi foi aproximadamente 73% mais caro que o valor da Uber. Um dos trunfos do aplicativo é o valor mais acessível, segundo Weaver.

Até o dia 15 de maio, a Uber disponibiliza um código promocional – MANAUS, para o novo usuário adquirir o desconto de R$ 20 na primeira corrida. Para chamar um veículo, o usuário precisa baixar o aplicativo nas lojas da Google Play e Apple Store, no telefone celular e criar uma conta.

O DIÁRIO divulgou, em março, que a empresa aplicativo que coordena um sistema de transporte privado urbano realizou uma reunião com os motoristas parceiros da capital no mês passado.

Segurança

Segundo o diretor, outra prioridade da empresa é a segurança dos usuários. Ao acionar um Uber, o passageiro consegue acompanhar o trajeto do motorista até a chegada do veículo ao ponto solicitado. Além disso, o usuário tem acesso a foto, nome do motorista, modelo e placa do carro.

Ao longo do trajeto é possível, segundo o aplicativo, compartilhar a sua localização e o tempo de chegada em tempo real com quem o passageiro desejar, por redes sociais ou mensagem.

“Vamos supor que tenha um jovem que saia de madrugada para ir numa festa, ele pode compartilhar o status dele com um familiar que está em casa e esse familiar vai ver no aplicativo, no mapa, onde ele está indo”, disse o executivo da Uber.

Já o sistema de avaliação mútua, após cada viagem, garante o anonimato do passageiro. Nesta plataforma os motoristas precisam ter média de 4,6, em uma escala de 1 a 5 estrela, para continuar no aplicativo.

Para se cadastrar como motorista, segundo o Uber, o candidato precisa ter idade mínima de 19 anos, carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada, e passar por checagem de antecedentes criminais, feitas pelo próprio Uber, a partir do número da documentação.

“Todos os motoristas passam por essa checagem em todos os entes da federação. Importante dizer que todas as corridas são monitoradas por GPS” disse o diretor.

Os carros ainda precisam a apresentar a Certidão de Registro e Licenciamento do Veículo, Bilhete de DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) do ano corrente. Mas, segundo a empresa, ainda existe um seguro do aplicativo que cobre motoristas e usuários em cada viagem, em caso de acidentes.

O pagamento das corridas, segundo Weaver, é feito semanalmente, e o motorista pode fazer uso da plataforma tanto para complemento de renda, assim como renda única.

Legalidade

Polêmico em todo País, por entrar em concorrência com os taxistas, o serviço, segundo o diretor geral da empresa na região Norte, Henrique Weaver, ainda é legalizado, graças a lei federal nº 12.587 de 2012, presente na lei de Mobilidade Urbana.

“A gente não espera nenhum grande movimento, nada muito relevante deste tipo aqui em Manaus. Fizemos o lançamento em Belém, em São Luiz também e os casos são super escassos. Em Belém, por exemplo, não tivemos nenhuma ocorrência de violência”, disse o diretor sobre os casos de violência envolvendo taxistas e motoristas da Uber.

Em Manaus, os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) deliberaram, em fevereiro, o Projeto de Lei nº 004/2017, que visa proibir o uso de veículos particulares cadastrados em aplicativos fixos ou imóveis e sites para o transporte remunerado coletivo ou individual em Manaus.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos e Taxistas do Amazonas (Sintax/AM), Luiz Aguiar. A categoria está insatisfeita, coma chegada dos aplicativos e querem a regulamentação do serviço no âmbito federal e municipal.

“É uma concorrência desleal. Lutamos tanto para ter uma licitação, pagamos os tributos todos, taxas municipais e estaduais. Já o aplicativo não paga nada. O problema todo é esse. Só em Brasília tem mais de 22 mil Ubers, vamos aguardar para nos posicionar sobre essa situação em Manaus”, afirmou Aguiar.

Do d24

você pode gostar também