Um planeta e suas três estrelas

Fig01: Planeta com três “sóis”.

Astrónomos usaram  o instrumento SPHERE [ver figura 02]  para  fazer o registo  das primeiras imagens de um planeta  situado em um sistema estelar triplo, ou seja, com três “sóis”.

Fig02: SPHERE instalado no VLT.
Fig02: SPHERE instalado no VLT.

A equipa de astrónomos tinha espectativa de encontrar uma órbita planetária  mais instável, facto que não fora confirmado – prova disso é que o planeta tem sobrevivido. Assim, trabalha-se actualmente com a hipótese de sistemas similares a este  serem mais comuns que fora imaginado.

Você achou “estranho” este sistema? Pois, algo próximo disso já  tinha sido concebido pela mente humana.  Vocês se lembram da saga “Star Wars”? Pois bem, o planeta Tatooine (onde Luke Skywalker cresceu) possui dois “sóis” no céu.

Fig03: Luke Skywalker no planeta Tatooine.
Fig03: Luke Skywalker no planeta Tatooine.

Tatooine poderia muito bem não ter noites, ou seja, seria dia constantemente. Ou melhor, Luke Skywalker poderia contemplar dois nasceres e pores de sol diariamente.

Achou “estranho”? Então você afirma: isso é pura ficção científica, certo? Façamos o seguinte, vamos para o mundo real? Com o SPHERE, a equipa de astrónomos  descobriu o planeta  HD131399Ab. Por favor, veja a figura 04, abaixo.

Fig04: Planeta HD131399Ab e suas três estrelas.
Fig04: Planeta HD131399Ab e suas três estrelas.

Como podemos notar, HD131399Ab  está  situado  entre  três  estrelas, a saber:  HD131399A (a mais brilhante delas), HD131399B e HD131399C.

Fig05: Órbita de HD131399Ab.
Fig05: Órbita de HD131399Ab.

Na Figura 05,  em vermelho – temos a trajectória do planeta e , em azul – as trajectórias das estrelas. Assim,  HD131399Ab  está a girar mais próximo da estrela A com um raio orbital  de quase 80 UA [valor que é  quase o dobro  da órbita de Plutão no Sistema Solar]. Notamos também que em algum momento o planeta fica entre as três estrelas (órbita mais interna).

Fig06: Concepção artística de HD131399Ab e seus três “sóis”.
Fig06: Concepção artística de HD131399Ab e seus três “sóis”.

HD131399Ab está praticamente a 320 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Centauro.

Fig07: HD131399Ab fica na constelação de Centauro.
Fig07: HD131399Ab fica na constelação de Centauro.

Segundo os estudos,  HD131399Ab tem aproximadamente  16 milhões de anos, idade que o torna  um dos planetas mais  jovens descoberto fora do Sistema Solar. Devido sua proximidade com a Terra, ele também é um dos poucos a ser fotografado directamente. A temperatura deste planeta é, em média, 580°C. Sua massa é quase o quádruplo da massa de Júpiter. Esses números fazem de HD131399Ab um planeta frio e pouco massivo, comparado aos demais exoplanetas.

Outro detalhe, o período orbital de HD131399Ab é de 550 anos terrestres. Além disso,  as três  estrelas  encontram-se visíveis no céu – sendo que as  estrelas B e C  sempre  estão próximas entre si.

HD131399Ab é o primeiro exoplaneta descoberto com a ajuda do SPHERE que  opera em infravermelha, deteta assinatura térmica, corrige  distúrbios atmosféricos e bloqueia a luz proveniente de  estrelas circunvizinhas.

Ainda segundo os estudos da equipa de astrónomos, a estrela HD131399A é a mais brilhante (sendo 80% mais massiva que o nosso Sol). As estrelas B e C, também estão a orbitar a estrela A com um raio orbital de 300 UA, ou seja, 300 vezes a distância entre a Terra e o Sol. As estrelas HD13139B e HD131399C giram uma ao redor da outra, distantes entre si por 10 UA (quase a distância do nosso Sol até Saturno).

Por fim, embora se pareça estranho, os estudos indicaram que a existência de sistemas estelares múltiplos (duplos e/ou triplos) é mais comum que a existência de sistemas estelares simples. A confirmação do  resultado acima aqueceu o mundo da Astronomia e reascendeu uma antiga discussão: No passado, o Sistema Solar era realmente formado somente por uma estrela?

Dr. Nélio Sasaki – Doutor em Astrofísica, Líder do NEPA/UEA/CNPq, Membro da SAB, Membro da ABP, Membro da SBPC, Membro da SBF, membro da UAI, membro da PLOAD/Brasil e ST/Brasil, Revisor da Revista Areté, Revisor da Revista Eletrônica IODA, Revisor ad hoc do PCE/FAPEAM, Director do Planetário Digital de Parintins-NEPA/UEA/CNPq, Director do Planetário Digital de     Manaus-NEPA/UEA/CNPq, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

 

você pode gostar também